Uso do artigo definido em relação a pessoas

Páginas:82-82
 
TRECHO GRÁTIS

Page 82

Como posso dizer: “O edifício foi inaugurado pelo Dr. João Alencar” ou “por Dr. João Alencar”?

Você pode dizer das duas formas. A explicação é que o emprego do artigo diante de nomes próprios – precedido ou não do tratamento doutor/doutora – é facultativo, dependendo esse uso da região do Brasil e da familiaridade com que se trata a pessoa. Assim sendo, temos duas variações:

1) Falei com Mercedes e com Moro há pouco.

2) Falei com a Mercedes e com o Moro há pouco.

1) Nosso advogado é doutor João.

2) Nosso advogado é o doutor João.

1) O edifício foi inaugurado por Dr. Alencar.

2) O edifício foi inaugurado pelo Dr. Alencar.

Reiterando: o artigo junto ao nome de batismo da pessoa pode ser usado ou não. No Sul do Brasil ele sempre aparece, ao passo que em outras regiões dispensa-se o artigo sistematicamente. Em resumo:

(A) Maria Cleusa pediu que você ligasse para ela.

(O) Manoel, que trabalha na banca, mandou as revistas.

Quando o nome completo da pessoa for usado em situação formal ou se tratar de personalidade pública com quem não temos familiaridade, não se usa o artigo:

João Figueiredo pediu para ser esquecido.

Os alunos leram o livro de Rachel de Queiroz indicado pela professora.

Os Sertões é a obra-prima de Euclides da Cunha.

Os adversários de Fernando Henrique Cardoso também participaram da discussão.

Como dito acima, os nomes próprios de pessoas, quando mencionados por inteiro, não devem ter artigo; este no entanto poderá ser usado se com tal pessoa houver familiaridade, real ou pretensa:

Desejo externar agradecimentos ao

Dr. Alceu Lima por sua contribuição nesta pesquisa e ao Prof. Nilo Lima pela dedicada orientação.

Por acaso me encontrei com a Vera Fisher na saída do teatro.

Vamos agradecer a ajuda da Viviane Senna na realização do projeto.

Não se usa artigo antes de pronomes de tratamento:

Espero não ter...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO