Lista de publicações desta coleção

Documentos mais recentes

  • Editorial
  • Teoria da agência, problemas de monitoramento e moral tributária: efeitos na arrecadação de tributos em municípios

    A pesquisa analisou o efeito do desalinhamento de agência na arrecadação de tributos. Para isso, a análise se concentrou na arrecadação do imposto sobre transmissão onerosa de bens imóveis intervivos (ITBI), sujeito à existência de problemas de agência entre o agente arrecadador (Cartórios) e o principal (Prefeituras). Considerando-se a total discricionariedade dos municípios na organização do tributo, o artigo apresenta que a falta de controle pode potencialmente estar acarretando perda de arrecadação pelos municípios, que além de estar associada a problemas de regulação, fiscalização e estrutura de arrecadação, pode estar sendo acentuada na presença de desalinhamento de agência. O trabalho foi realizado por meio da aplicação de um questionário coletado eletronicamente pela internet, com respondentes de Cartórios, comparados com dados da estrutura de arrecadação dos municípios e com os valores de arrecadação do período de 1998 a 2018. Os resultados apontam que o desalinhamento de agência combinado com menor percepção de controle pode levar a redução da arrecadação do IBTI.

  • Conflitos de agência em empresas familiares de capital aberto e a composição do Conselho de Administração

    O objetivo do estudo é analisar a influência dos conflitos de agência decorrentes da estrutura de propriedade sobre a presença de membros não familiares no Conselho de Administração das empresas familiares brasileiras de capital aberto. A amostra foi composta por 145 empresas familiares de capital aberto. Coletaram-se os dados nos Formulários de Referência divulgados pelas empresas do ano de 2018, utilizandose a regressão linear com o método de Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e logística como procedimento de análise de dados. Os resultados apontam que há uma relação negativa entre o conflito principal-principal e a presença de membros não familiares no Conselho de Administração, bem como a relação positiva entre o conflito family blockholder e presença de membros não familiares no Conselho de Administração. Ademais, esse estudo traz como implicação evidências de que a composição do Conselho de Administração é influenciada por conflitos de agência relacionados à estrutura de propriedade das empresas familiares.

  • Estudo sobre a usabilidade das práticas de contabilidade gerencial mais intensamente usadas em empresas que atuam no Brasil

    Este estudo teve como objetivo principal investigar os principais atributos que caracterizam a usabilidade da Práticas de Contabilidade Gerencial mais intensamente usada por gestores de diferentes níveis funcionais em organizações que atuam no Brasil. As dimensões de usabilidade foram mensuradas a partir dos constructos definidos por Mahama e Cheng (2013), a saber: coercivo, habilitante, reparo, flexibilização, transparência interna e transparência global. O método de coleta de dados foi o survey, sendo enviados questionários para empresas listadas no anuário Melhores & Maiores, publicado pela revista Exame. Foram coletadas 149 respostas válidas de profissionais que atuam em diversas posições nas organizações. A análise dos dados utilizou as técnicas de análise fatorial e de correspondência. Como principais achados, é possível destacar que as práticas mais adotadas são aquelas relacionadas ao processo de gestão (Orçamento empresarial, Planejamento estratégico e Variações orçamentárias), e os profissionais entendem que essas práticas permitem realizar correções e facilitam a solução de problemas (dimensão reparo), bem como melhoram a visibilidade do trabalho (transparência interna). Adicionalmente, os resultados mostram que os contadores percebem as práticas mais utilizadas na empresa como ferramentas de controle (dimensão coercitiva), enquanto outros profissionais de média gerência as percebem como ferramentas que os auxiliam a desenvolver suas atividades de forma mais eficiente (dimensão habilitante).

  • As metodologias de ensino ativam o desenvolvimento de habilidades profissionais?

    O presente estudo teve por objetivo analisar o potencial das metodologias de ensino para desenvolver as habilidades preconizadas pela IES 3- International Education Standards 3 - da IFAC - International Federation of Accountants. Para tanto, utilizou-se o levantamento com a aplicação de um questionário a uma amostra composta por 290 docentes atuantes no curso de Ciências Contábeis no Brasil. Como resultado, verificou-se concordância dos docentes quanto ao despertar de diversas habilidades por meio das metodologias de ensino. As estratégias baseadas em procedimentos práticos, como visita técnica, prática de campo e as estratégias baseadas na problematização, como estudo de caso, ensino e pesquisa e Problem-Based Learning (PBL), são as metodologias que mais despertam as habilidades proposta pela IES3 segundo a percepção dos docentes. Por outro lado, as metodologias baseadas na arte e em dinâmicas obtiveram baixos percentuais de concordância dos professores para promover as referidas habilidades. Nesse caso, é possível afirmar que tais metodologias são menos conhecidas pela maior parte dos docentes pesquisados.

  • Expectation gap: análise da percepção social quanto às responsabilidades do auditor independente

    A pesquisa analisou a percepção da sociedade brasileira quanto às responsabilidades do auditor independente frente ao que está prescrito pelas normas reguladoras da profissão. A amostra foi formada por 370 participantes e a percepção social, mensurada pela escala Likert. As assertivas foram embasadas nas normas de responsabilidades dos auditores e alocadas nos construtos: fraude; não conformidade; comunicação e controle interno, depurados pela análise fatorial. O teste de Qui-Quadrado verificou a associação com as expectativas mais realistas e o teste Kruskal-Wallis identificou a significância das diferenças de médias dos grupos. Acerca da percepção social, o maior nível de conhecimento de auditoria e contabilidade, estão associadas as expectativas mais realistas quanto às responsabilidades do auditor. Os resultados ainda suscitam a necessidade de a sociedade conhecer as reais responsabilidades do auditor, contribuindo para redução do litígio entre esta e a auditoria, reforçando a importância da comunicação entre estes e os órgãos reguladores da auditoria.

  • Reflexividade do exame de suficiência frente ao estabelecido pelo currículo mundial ONU/UNCTAD/ISAR e a eixos de competências requeridas dos profissionais da área contábil

    Esta pesquisa objetivou determinar a reflexividade do Exame de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade frente ao Currículo Mundial ONU/UNCTAD/ISAR e a eixos de competências requeridas dos profissionais da área Contábil. Realizou-se uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa. A técnica de coleta dos dados foi a documental e a de análise foi a de conteúdo. Constatou-se a adequação do Exame frente ao Currículo Mundial, com destaque dos blocos de conhecimentos básicos em Contabilidade, seguido dos organizacionais e da atividade comercial. Todavia, não foram identificados conteúdos de Tecnologia da Informação. As competências técnico-profissionais foram mais expressivas no Exame do que as organizacionais e sociais. Concluiu-se que a prova reflete a maioria dos conhecimentos exigidos pelos padrões internacionais para a atuação de um contador global, no entanto o Exame de Suficiência carece de melhorias no que concerne a uma abrangência maior de conteúdos que demandem a mobilização de competências sociais e gerenciais.

  • Empresas que usam derivativos para hedge conseguem uma redução do risco?

    Este estudo se propôs a avaliar o impacto da utilização de derivativos para fins de proteção (hedge) no risco das companhias de capital aberto negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo ([B]3). A partir de uma amostra composta por 359 empresas analisadas entre os anos de 2010 e 2017 e separadas entre usuárias e não usuárias de derivativos por meio de variável dummy, foi empregada a metodologia de regressão de dados em painéis, tendo como variável dependente o risco e como variáveis independentes o uso ou não de derivativos, o tamanho, a alavancagem, o book-to-market e a liquidez. Os resultados obtidos pelos modelos passaram por testes de robustez e indicaram, assim como era esperado, que o uso de derivativos para hedge está acompanhado de uma redução no risco das companhias, assim como verificado em países desenvolvidos. Diante disso, este estudo poderá auxiliar na compreensão dos reflexos do uso de derivativos antes das alterações implementadas pela norma que regulamenta a contabilização e a divulgação dos instrumentos financeiros derivativos (IFRS 9), que passou a vigorar em 1º de janeiro de 2018. Além disso, o estudo contribui para que os gestores de empresas percebam o impacto da adoção de políticas de hedge no mercado acionário.

  • Determinantes do grau de penalização contra auditores independentes no Brasil

    A importância da auditoria no mercado de capitais, pela sua confiança e credibilidade, elevou-se com o desenvolvimento dos negócios. Destarte, esta pesquisa objetivou identificar os determinantes do grau de penalidades aplicadas aos auditores independentes, baseando-se nos Processos Administrativos Sancionadores autuados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no período de 2000 a 2017. O estudo contribui para a ciência sendo o primeiro a buscar variáveis que expliquem quantitativamente essas sanções. A amostra de 76 processos foi captada do sítio da CVM e da B3. Os modelos de regressão propostos mostram que as penalidades contra auditores são: (i) positiva e significantemente relacionadas às infrações ocorridas na aceitação do cliente, execução e comunicação dos trabalhos, aos acusados reincidentes e às empresas clientes listadas na bolsa; (ii) negativa e significantemente relacionada à ocorrência de infrações no planejamento da auditoria, à existência de governança corporativa nos clientes auditados, às firmas big four e aos tempos processuais.

  • O uso do smartphone nas atividades acadêmicas: a percepção dos discentes das ciências sociais aplicadas de uma Universidade Federal

    Muitos discentes estão utilizando a tecnologia móvel, como por exemplo o smartphone, e essa tecnologia está mudando a maneira como esses aprendem. Assim, o objetivo deste estudo é verificar como os discentes dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Comércio Exterior e Tecnologia em Gestão de Cooperativas, de uma universidade federal percebem o uso do smartphone nas atividades acadêmicas por meio do TAM2. Foi aplicado um questionário na amostra de 596 discentes. A análise foi realizada por meio de estatísticas descritivas, análise fatorial exploratória e equações estruturais. Os resultados indicam que a Intenção Comportamental sofre influência positiva das seguintes variáveis: Facilidade de Uso Percebida, Utilidade Percebida e Norma Subjetiva. Quanto a Utilidade Percebida, essa pode ser influenciada positivamente pelas seguintes variáveis: Facilidade de Uso Percebida, Norma Subjetiva, Relevância para o Trabalho e Qualidade de Saída. As principais contribuições estão relacionadas a ideia que os discentes aceitam o uso do smartphone para as atividades acadêmicas, e o docente pode planejar as suas ações acadêmicas contando com o smartphone como uma ferramenta fundamental para o processo de ensino aprendizagem, que permitirá uma maior mobilização dos estudantes no desenvolvimento de suas atividades.