Trabalho imaterial: divergências teóricas e conceituais

Autor:Stefania Becattini Vaccaro
Cargo:Doutora em Ciências Sociais e Jurídica pela Universidade Federal Fluminense
Páginas:127-140
RESUMO

O objetivo deste artigo é investigar se o conceito "trabalho imaterial" apresenta densidade teórica suficiente para funcionar com uma categoria de investigação nas ciências sociais. Assim, realizamos uma contraposição teórica-analítica entre as ideias desenvolvidas por Antonio Negri e Maurizio Lazzarato com aquelas propostas por André Gorz. A comparação dos textos evidencia diferenças... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2015v12n2p127
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não
Adaptada.
TRABALHO IMATERIAL: DIVERGÊNCIAS TEÓRICAS E CONCEITUAIS
Stefania Becattini Vaccaro
1
Resumo:
O objetivo deste artigo é investigar se o conceito “trabalho imaterial” apresenta
densidade teórica suficiente para funcionar com uma categoria de investigação nas
ciências sociais. Assim, realizamos uma contraposição teórica-analítica entre as
ideias desenvolvidas por Antonio Negri e Maurizio Lazzarato com aquelas propostas
por André Gorz. A comparação dos textos evidencia diferenças substanciais e
algumas proximidades entre os argumentos apresentados por esses autores. Com
efeito, evidencia-se a existência de uma imprecisão conceitual sobre a expressão
“trabalho imaterial”. Isto impede que este termo funcione como uma categoria
analítica de investigação em sociologia do trabalho.
Palavras-chave: Trabalho imaterial. Multidão. Sociedade dual. Teoria valor-trabalho.
INTRODUÇÃO
No começo dos anos 90, quando a discussão “sobre reestruturação produtiva,
crise do fordismo e transformações do trabalho” (COCCO, 2001, p.07) era
efervescente, Antonio Negri e Maurizio Lazzarato (2001) cunharam a expressão
«trabalho imaterial». Esses autores buscaram, por meio da proposição deste termo,
constituir uma categoria explicativa das mudanças sociais e das transformações no
âmbito do trabalho. Este debate foi, posteriormente, reforçado pela publicação de
dois livros de André Gorz, Misérias do Presente e Riqueza do Possível (2004); O
Imaterial (2005).
Esses três autores, de forma direta, se apoiaram na obra de Karl Marx.
Contudo, o fizeram em diferentes perspectivas. Enquanto Gorz buscou verificar a
robustez da teoria-valor trabalho frente às dinâmicas contemporâneas de criação da
riqueza capitalista, Negri e Lazzarato se concentraram na dimensão política de seus
textos.
1
Doutora em Ciências Sociais e Jurídica pela Universidade Federal Fluminense. Professora de
Políticas Públicas na Universidade Estadual de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil. E-mail:
fanivaccaro@yahoo.com.br

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO