The Basic Education Movement and popular education/AAEB e educacao popular.

Author:Wanderley, Luiz Eduardo W.
Position:Texto en portugues
 
FREE EXCERPT

Introducao

Pesquisas e publicacoes sobre o Movimento de Educacao de Base (MEB) trazem informacoes significativas sobre sua origem, historia, dinamica, objetivos, meios de atuacao, conquistas e dificuldades. Eu mesmo fiz comentarios de fundo sobre alguns destes elementos (1984). Uma pesquisa abrangente, que traz comentarios fecundos sobre todos estes pontos, e a elaborada por Osmar Favero (2006). O presente texto se fixa no periodo de 1961-1964, com algumas observacoes sobre o pos-64.

O MEB foi uma criacao da Igreja Catolica, por meio da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em 1961. Teve o apoio da Presidencia da Republica, com base em decreto e diversos convenios, com destaque pelo convenio com o Ministerio da Educacao e Cultura. O objetivo central do mesmo era o de realizar um programa de educacao de base, utilizando escolas radiofonicas, com enfase nas zonas rurais das areas subdesenvolvidas das regioes Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Sua criacao foi precedida por tres projetos, a saber: o SIRENA, do MEC, as escolas radiofonicas do SAR, na Diocese de Natal, e o SIRESE, na arquidiocese de Aracaju, conveniado com o SIRENA e outros orgaos federais.

Dentre as atividades pretendidas, estavam a alfabetizacao e iniciacao em conhecimento, conscientizacao do povo, animacao de grupos de representacao, promocao e pressao e valorizacao da cultura popular. Em sua programacao, foi se reelaborando a concepcao de educacao de base:

Considerando as dimensoes totais do homem, entende-se como educacao de base o processo de autoconscientizacao das massas, para uma valorizacao plena do homem e uma consciencia critica da realidade. Esta educacao devera partir das necessidades e dos meios populares de participacao. Integrados em uma autentica cultura popular, que leve a uma acao transformadora. Concomitantemente, deve propiciar todos os elementos necessarios para capacitar cada homem a participar do desenvolvimento integral de suas comunidades e de todo o povo brasileiro (MEB apud FAVERO, 2006, p. 80).

Na interpretacao da natureza e dos processos de educacao popular concretizados, um angulo analitico expressivo estava nas suas relacoes com as classes populares. Neste ponto, algumas caracteristicas desta educacao podem ser apontadas: a) e uma educacao de classe--exige uma consciencia dos interesses das classes populares; b) e historica--depende do avanco das forcas produtivas; c) e politica--conjuga-se com outras dimensoes da luta global das classes populares; d) e transformadora e liberadora --luta por mudancas qualitativas e reformas estruturais; e) e democratica --antiautoritaria, antimassificadora, antielitista; f) relaciona a teoria com a pratica; g) relaciona a educacao com o trabalho; h) objetiva a realizacao de um poder popular.

Nesta perspectiva analitica, relaciona as experiencias populares com os interesses centrais dos trabalhadores (operariado como foco basico), e busca ser praticada com as visoes e acoes dos intelectuais organicos, internos e externos as classes populares. Ela pode se dar nos ambitos do Estado e da Sociedade Civil (WANDERLEY, 1984).

Inicialmente, trago algumas propostas de Lima Vaz (1963, p. 64), que foram utilizadas pelo MEB, e mesmo pela Acao Popular:

Cultura e o processo historico (e portanto de natureza dialetica) pelo qual o homem em relacao ativa (conhecimento e acao) com o mundo e com os outros homens, transforma a natureza e se transforma a si mesmo, constituindo um mundo qualitativamente novo de significacoes, valores e obras humanas, e realizando-se como homem neste mundo humano.

Nesta esfera, a sua formulacao foi reproduzida de distintas maneiras: a) a cultura e historica, pois a iniciativa humana que cria a historia e precisamente a cultura [...]; b) a cultura e social, pois so tem sentido e validez enquanto processo de comunicacao das consciencias [...]; c) a cultura e pessoal, pois e por excelencia iniciativa de liberdade, enquanto supera o determinismo da natureza [...]; d) a cultura e universal. Pelo conteudo humano de suas significacoes (aspecto subjetivo) e pela destinacao humana de suas obras (aspecto objetivo), o processo cultural tende a constituir-se em elemento de mediacao entre todos os homens [...] (MEB apud FAVERO, 2006, p. 85).

Neste sentido, uma dimensao criativa da acao educativa do MEB diz respeito as suas interligacoes com a cultura: educacao como um processo que visa a formacao do Homem, com suas finalidades de ser consciente e transcendente; pretende ser criadora, o educando no seu papel de sujeito da cultura; e comunicacao entre sujeitos e nao mera transposicao, o educando como sujeito criado recriando a cultura; participar da cultura do seu grupo local; humanizacao da pessoa humana, o homem agente do desenvolvimento; ela e historica, social, pessoal e universal (MEB apud FAVERO, 2006).

Numa publicacao do Movimento, a educacao de base sintetiza dois aspectos: um engajamento real, uma resposta as necessidades concretas de humanizacao, aqui e agora; e a universalidade de seus fundamentos, para que, enquanto se personaliza na historia, o homem possa...

To continue reading

REQUEST YOUR TRIAL