Soja transgênica: riscos, incertezas e interesses em jogo

Autor:Arnildo Korb - Bruno Gasparini - Francisco de Assis Mendonça
Cargo:Mestre em Educação nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI). Professor assistente da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) - Doutorando em Meio Ambiente e Desenvolvimento pelo Programa de pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento (MADE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR)...
Páginas:246-274
RESUMO

Neste ensaio discute-se a produção da soja transgênica e os debates entre peritos e leigos quanto à percepção dos riscos oriundos daquela atividade. Apesar de transcorrida uma década e meia desde o início do plantio no Brasil, os dois grupos encontram-se distantes de consensos em relação à existência ou não de riscos ao meio ambiente e à saúde humana. A escala de tempo quanto ao curto, médio ou... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n2p246
SOJA TRANSGÊNICA: RISCOS, INCERTEZAS E INTERESSES EM JOGO
TRANSGENIC SOYBEAN: UNCERTAINTY, RISKS AND INTERESTS AT STAKE
SOJA TRANSGÉNICA: RIESGOS, INCERTIDUMBRES E INTERESES EN JUEGO
Arnildo Korb
1
Bruno Gasparini 2
Francisco de Assis Mendonça3
Resumo:
Neste ensaio discute-se a produção da soja transgênica e os debates entre peritos e
leigos quanto à percepção dos riscos oriundos daquela atividade. Apesar de
transcorrida uma década e meia desde o início do plantio no Brasil, os dois grupos
encontram-se distantes de consensos em relação à existência ou não de riscos ao
meio ambiente e à saúde humana. A escala de tempo quanto ao curto, médio ou
longo prazo para a evidência de riscos perde referência também em razão da
inexistência ou obscurantismo das pesquisas que objetivam diagnosticar as
preocupações suscitadas. Argumenta-se, então, pela responsabilidade ética dos
pesquisadores e dos representantes políticos em perseguirem os dispositivos
constitucionais, assegurando que os interesses das empresas de agroquímicos e de
biotecnologias não se sobreponham às políticas nacionais de pesquisa e de
produção de alimentos. O momento requer discussões acerca dos moldes de
instituição do Princípio da Precaução ou a substituição deles pelo Princípio da
Percentagem, a fim de que pesquisas que objetivam identificar possíveis riscos em
relação aos alimentos transgênicos possam ocorrer sem interferências políticas ou
mercadológicas.
Palavras-chave: Biotecnologia. Transgenia. Riscos. Princípio da Precaução. Ética e
Política.
Abstract:
In this paper it is discussed the transgenic soybean production and the debates
among experts and laymen on their perception in terms of risks originated from that
1 Mestre em Educação nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do E stado do Rio
Grande do Sul (UNIJUI). Professor assistente da Universidade do Estado de Santa Catarina
(UDESC). E-mail: arkorb@yahoo.com .br
2 Doutorando em Meio Ambiente e Desenvolvimento pelo Programa de pós-graduação em Meio
Ambiente e Desenvolvimento (MADE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Direito
pela Universidade Federal do Paraná. E-mail: gasparini_bruno@hotmail.com
3 Doutor em Clima e planejamento urbano pela Universidade de São Paulo (USP), Pós-doutorado em
Epistemologia da Geografia na Université Sorbonne/Paris I/França. Professor Titular do
Departamento de Geografia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). E-mail: chico@ufpr.br
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não
Adaptada.
247
activity. Although the beginning of such practice started a decade and a half ago, the
two groups have been far from an agreement on the presence of risks, or not, in
relation to the environment and human health. The short, medium and large
timescales concerning risks lose reference because of the inexistence and
obscurantism in researches that aim to analyze the mentioned issues. Thus, it is
considered the ethical responsibility of researchers and politicians in favor of the
Federal Constitution to ensure that the interests of the agrochemical and
biotechnology industries do not overlap with the national research policies and food
production. It is necessary to discuss the institutional standards of the Principle of
Precaution or their substitution by the Principle of Percentage so that researches that
aim to identify possible risks in relation to the transgenic food can be developed
without political or market interferences.
Keywords: Biotechnology. Transgenic. Risks. Principle of Precaution. Ethics and
Politics.
Resumen:
En este ensayo se discute sobre la producción de soja transgénica y los debates
entre expertos y legos sobre su percepción de los riesgos de esa actividad. A pesar
de haber transcurrido una década y media desde el inicio de la siembra en Brasil, los
dos grupos están muy lejos de un consenso sobre la existencia de riesgos para el
medio ambiente y la salud humana. La escala de tiempo sobre los riesgos a corto,
mediano o largo plazo para evidenciar los riesgos, también pierde referencia a causa
de las escasas investigaciones o del obscurantismo de las mismas, que tendrían el
objetivo diagnosticar las preocupaciones suscitadas. Argumentamos, entonces, por
la responsabilidad política de los investigadores y los representantes políticos para
cumplir con las disposiciones de la Constitución Federal, de modo que los intereses
de las empresas agroquímicas y de biotecnología no se superpongan a las políticas
nacionales en materia de investigación y producción de alimentos. Este momento
requiere discusiones sobre los criterios de la institución del Principio de Precaución o
su substitución por el Principio de Porcentaje, con el fin de que investigaciones que
tratan de identificar los posibles riesgos en relación a los alimentos modificados
genéticamente puedan producirse sin interferencias políticas o de mercadeo.
Palabras-clave: Biotecnología. Transgénicos, Riesgo, principio de precaución, ética
y política
INTRODUÇÃO
É no contexto das controvérsias percebidas nos discursos de peritos
4 e
leigos5 e que envolvem a defesa e a recusa da soja transgênica6, que este artigo se
4 Neste artigo considerar-se-ão os peritos como aqueles detentores do conhecimento técnico-
científico, fundamentalmente (mas não exclusivamente) nas áreas da engenharia genética e da
biologia molecular, que se auto-intitulam representantes de um saber inquestionáv el, atrelado à
disciplinaridade. Reclamam por esse lugar, também, cientistas vindos de outras áreas, como das
ciências sociais e das ciências humanas, e que na maioria das vezes se opõem a tecnologia dos
transgênicos nos moldes propostos pelas transnacionais.
5 Neste artigo considerar-se-ão os leigos como aqueles não detentores de conhecimento técnico-
científico relacionado exclusivamente à engenharia genética ou à biologia molecular, aqueles que

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO