Podem os privilegiados escutar?': provocações dos feminismos marginais à crítica criminológica

Author:Mailô de Menezes Vieira Andrade
Position:Doutoranda em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Mestra em Direito pela UFPA. Advogada
SUMMARY

Neste artigo,questiono como podemos, entre privilégios e opressões, escutar vozes que ecoamda marginalidade, seus anseios e demandasdiante do aparato penal. Recorrendo àsimplicações epistemológicasda perspectiva do ponto de vista feminista, tensiono os paradoxosentre o saber criminológico e o feminista no país,com objetivo de avançar na críticainterseccionale possibilitar caminhos de escuta ativa ... (see full summary)

 
FREE EXCERPT
Rev. Direito e Práx., Rio de Janeiro, V. 11, N. 4, 2020, p.2302-2329 .
Mailô de Menezes Vieira Andrade
DOI: 10.1590/2179-8966/2019/43476| ISSN: 2179-8966
2302
Podem os privilegiados escutar?: provocações dos
feminismos marginais à crítica criminológica
Can the privileged listen?: defiances by feminisms from ma rgins to
criminological critique
Mailô de Menezes Vieira Andrade¹
¹ Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. E-mail:
mailoandrade@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-4499-9162.
Artigo recebido em 21/06/2019 e aceito em 14/12/2019.
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License
Rev. Direito e Práx., Rio de Janeiro, V. 11, N. 4, 2020, p.2302-2329 .
Mailô de Menezes Vieira Andrade
DOI: 10.1590/2179-8966/2019/43476| ISSN: 2179-8966
2303
Resumo
Neste artigo, questiono como podemos, entre privilégios e opressões, escutar vozes que
ecoam da marginalidade, seus anseios e demandas diante do aparato penal. Recorrendo
às implicações epistemológicas da perspectiva do ponto de vista feminista, t ensiono os
paradoxos entre o saber criminológico e o feminista no país, com objetivo de avançar na
crítica interseccional e possibilitar caminhos de escuta ativa de pesquisadoras/es e atores
do sistema de justiça criminal.
Palavras-chave: Criminologia Crítica; Feminismos; Ponto de Vista Feminista.
Abstract
In this article, I question how we can, between privileges and oppressions, listen to voices
that echoes from the margins, their yearnings and demands before the criminal law.
Drawing on the epistemological implications from a feminist standpoint, I stress the
paradoxes bet ween criminological and feminist knowle dge in the country, in order to
advance in intersectional critique and provide avenues for active listening by researchers
and actors of the criminal justice system.
Keywords: Critical Criminology; Feminisms; Feminist Standpoint.

To continue reading

REQUEST YOUR TRIAL