Elaboração do panorama do mercado segurador brasileiro em relação à regulamentação internacional de solvência

Autor:Edson Roberto Macohon - Jonas Fernando Petry - Francisco Carlos Fernandes
Cargo:Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau - Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau - Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo
Páginas:127-154
RESUMO

O objetivo da pesquisa foi analisar o panorama do mercado segurador brasileiro em relação à regulamentação internacional de solvência. Quanto aos objetivos, este estudo se caracteriza como pesquisa descritiva, e quanto aos procedimentos, é documental. A população são as 180 seguradoras brasileiras credenciadas na Susep que publicam suas demonstrações financeiras. A análise dos dados é qualitativa,... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n31p127
127
ISSN 2175-8069, UFSC, Florianópolis, v.14, n. 31, p. 127-154,
jan./abr. 2017
Elaboração do panorama do mercado segurador brasileiro em relação à
regulamentação internacional de solvência
Elaboration of the panorama of the Brazilian insurance market in relation to international
solvency regulation
Análisis del panorama del mercado asegurador brasileño en relación a la regulación
internacional de solvencia
Edson Roberto Macohon
Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela
Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Professor do Departamento de Ciências Contábeis da
Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) Campus Irati
Endereço: PR 153 KM 07 Riozinho Cx. Postal, 21
CEP: 85500-000 Irati/PR - Brasil
E-mail: ermacohon@unicentro.br
Telefone: (42) 999742866
Jonas Fernando Petry
Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela
Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Professor do Departamento de Administração da
Universidade Federal do Amazonas (UFAM/INC/BC)
Endereço: Av. Patrício Caldeira de Andrade, n, 1596 Bairro Capoeiras
CEP: 88085-150 Florianópolis/SC - Brasil
E-mail: jonaspetry@brturbo.com.br
Telefone: (97) 991840212
Francisco Carlos Fernandes
Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Faculdade de Economia, Administração e
Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP)
Professor da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios (EPPEN) da Universidade
Federal de São Paulo (UNIFESP).
Endereço: Rua Angélica, nº 100, Jardim das Flores
CEP: 06110-295 Osasco/SP Brasil
E-mail: francisco.fernandes@unifesp.br
Telefone: (11) 2284-6900
Artigo recebido em 22/10/2015. Revisado por pares em 29/08/2016. Reformulado em
26/12/2016. Recomendado para publicação em 16/03/2017 por Carlos Eduardo Facin Lavarda
(Editor-Chefe). Publicado em 30/04/2017.
Edson Roberto Macohon, Jonas Fernando Petry e Francisco Carlos Fernandes
ISSN 2175-8069, UFSC, Florianópolis, v. 14, n. 31, p. 127-154, jan./abr. 2017
128
Resumo
O objetivo da pesquisa foi analisar o panorama do mercado segurador brasileiro em relação à
regulamentação internacional de solvência. Quanto aos objetivos, este estudo se caracteriza
como pesquisa descritiva, e quanto aos procedimentos, é documental. A população são as 180
seguradoras brasileiras credenciadas na Susep que publicam suas demonstrações financeiras. A
análise dos dados é qualitativa, que se dá por meio da análise de conteúdo dos textos
selecionados das notas explicativas e seu enquadramento nas 13 perspectivas de Taylor (2012).
A pesquisa constatou que, embora haja crescente conscientização das partes interessadas na
governança e gestão de risco das seguradoras brasileiras, ainda é necessário haver melhorias.
As informações de avaliação de risco e solvência foram evidenciadas de forma bastante limitada
devido às exigências da Susep. Poucas empresas detalharam o perfil de risco específico, os
limites de tolerância de risco, bem como explicações acerca das provisões técnicas. Ademais,
nenhuma seguradora pesquisada demonstrou dificuldades quanto aos limites de capital mínimo
requerido pelo Solvency II.
Palavras-chave: Seguradoras, Gestão de risco, Regulação do risco, Solvency II.
Abstract
The research objective was to analyze the view of the Brazilian insurance market in relation to
international solvency regulation. This study is characterized as to the goals as descriptive,
and as to the procedures it is documentary. The population is 180 accredited Brazilian insurers
accredited by SUSEP that publish their financial statements. Data analysis is qualitative, which
is carried out through the content analysis of the selected explanatory notes and their place
within the 13 prospects of Taylor (2012) texts. The survey found that although there is a
growing awareness of stakeholders in governance and risk management of the Brazilian
insurance companies, improvements are still necessary. The information risk assessment and
solvency were shown quite so limited to SUSEP requirements. Few companies have detailed
the specific risk profile, the limits of tolerance to risk as well as explanations of technical
provisions. Furthermore, no insurer surveyed demonstrated difficulties as to the limits of the
minimum capital required by Solvency II.
Keywords: Insurance; Risk management; Risk regulation; Solvency II
Resumen
El objetivo de esta investigación fue analizar el panorama del mercado asegurador brasileño
en relación a la regulación internacional sobre solvencia. De acuerdo con los objetivos, este
estudio se caracteriza como descriptivo y como documental, por los procedimientos utilizados.
El universo fueron 180 aseguradoras brasileñas acreditadas en la Superintendencia de Seguros
Privados (SUSEP) que publican sus estados financieros. El análisis de los datos fue cualitativo,
realizado por medio del análisis de contenido de textos seleccionados de las notas explicativas
y su encuadramiento en las 13 perspectivas de Taylor (2012). La investigación constató que,
aunque haya una creciente concientización de las partes interesadas en la gobernanza y en la
gestión de riesgo de las aseguradoras brasileñas, aún hay necesidad de mejorías. Las
informaciones de evaluación de riesgo y solvencia se evidenciaron de forma bastante limitada
en cuanto a las exigencias de la SUSEP. Pocas empresas detallaron el perfil de riesgo
específico, los límites de tolerancia de riesgo y las explicaciones acerca de las provisiones
técnicas. Además, ninguna aseguradora investigada demostró dificultades con respecto a los
límites de capital mínimo requerido por el Solvency II.
Palabras clave: Seguradoras; Gestión de riesgo; Regulación del riesgo; Solvencia II

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO