A verdadeira solidariedade começa onde não se espera nada em troca.(Antoine de Sanit-Exupéry).Pessoas que vivem em situação de rua. E se fosse com você?

Autor:Victor Hugo Borges
Ocupação do Autor:Delegado de Polícia do Estado de São Paulo
Páginas:245-254
 
TRECHO GRÁTIS
245
A verDADeirA SoliDArieDADe começA onDe não Se eSPerA
nADA em trocA. (Antoine De SAnit-exuPéry). PeSSoAS
que vivem em SituAção De ruA. e Se foSSe com você?
contexto HiStórico
Verificando o âmbito mundial, a revolução industrial, que trouxe a
força do capitalismo, foi um ponto importante para o surgimento da popula-
ção que passaria a viver nas ruas. O pequeno produtor foi forçado a ceder seu
trabalho para a indústria e, aquele que não se adaptou e aceitou tal situação, se
viu sobreposto e sem saída, passando a viver nas ruas.
No Brasil, não há um momento adequado da história que demonstre
fatos que deram início ao tema dos moradores de rua. Certo é que, após a
edição da Constituição Federal de 1988, movimentos sociais, impulsionados
pelas descrições em seus artigos de garantias de políticas públicas sociais, ini-
ciaram manifestações a respeito das pessoas que viviam em situação de rua,
um exemplo marcante de tais manifestações é o Grito dos Excluídos que teve
início no de 1995.
Como decorrência disso, ano após ano foram aprovadas leis, resolu-
ções, portarias, estabelecidos encontros, sempre com a temática assistencialis-
ta. Em estudo específico sobre o tema, Alexandre da Rocha Klaumann,( MO-
RADORES DE RUA - UM ENFOQUE HISTÓRICO E SOCIOASSISTENCIAL
DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NO BRASIL: A REALIDADE DO
CENTRO POP DE RIO DO SUL/SC) traçou uma linha de acontecimentos,
especificando que:
“Já no início do século XXI no ano de 2001 ocorreu a Primeira Marcha
do Povo da Rua. Em 2004 segundo (Brasil, SDH, 2013) foi aprovada a
Política Nacional de Assistência Social (Resolução CNAS nº 145, de 15
de outubro de 2004), que atribui à Proteção Social Especial ao atendi-
mento da população em situação de rua. Ainda no ano de 2004 o MDS
(Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Nacional)
fez um Convênio de Cooperação Técnico-Científica e Financeira com a
Organização Não Governamental do Auxílio-Fraterno – OAF/SP, com
objetivo para fortalecer através de capacitação para o fortalecimento
do Movimento Nacional da População de Rua (SDH, 2013). No ano de
2005 conforme SDH, 2013 cita (COSTA,2007; FERRO, 2012) é criado
Movimento Nacional da População de Rua (MNPR) apoiado pelo Mo-
vimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. A criação

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO