Prefácio

Autor:Antonio Augusto Guimarães De Souza
Ocupação do Autor:Advogado, Juiz Aposentado, Membro da Comissão de Adoção da OAB/SP
Páginas:9-11
 
TRECHO GRÁTIS
PREFÁCIO
Falar de ADOÇÃO é sempre um sublime exercício de
pureza, pois a filiação ficta decorrente deste ato jurídico nos
remete à mola mestra da vida, que é o AMOR.
Amor é vida, amar é viver. Assim o disse o Apóstolo
Predileto em uma de suas epístolas, com palavras sagradas
tantas vezes repetidas: “Quem não ama permanece na
morte” (1 João 3:14).
Já se foi o tempo em que a adoção visava à continui-
dade do fogo sagrado em homenagem aos Lares; também
é passada a época em que se adotava uma criança para a
satisfação íntima da família.
De há muito se sabe – e assim dizem doutrinadores e
legisladores – que a adoção tem como fim último a proteção
da criança.
O verdadeiro punctum dolens de todo processo ado-
tivo é o melhor interesse da criança. E, ainda que se preste,

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO