Nota do autor

Autor:Raphael Miziara
Páginas:15-15
 
TRECHO GRÁTIS
NOTA DO AUTOR
Em tempos de modernidade líquida, a mudança é a única coisa permanente e a incerteza a única certeza,
escreveu Zygmunt Bauman. As informações percorrem o globo na velocidade da luz. Somos, todos nós, a
todo momento, bombardeados com novas notícias, teorias, teses, conceitos e informações de todo gênero.
Esse turbilhão de dados, muitas vezes, não é possível de ser compreendido e cooptado pelo ser humano.
Nesse cenário, um dos grandes desaos do prossional da era pós-moderna é, sem sombra de dúvidas,
o de se manter atualizado. O prossional que ca um dia sequer sem acompanhar as novidades de sua área
torna-se, do dia para a noite, obsoleto e desatualizado.
Esse fenômeno não é diferente no campo jurídico, especialmente quando se pensa no ordenamento
jurídico brasileiro, mais líquido do que qualquer outro. Vivemos em um sistema civil law, de origem roma-
no-germânica, que consegue ser mais instável do que qualquer outro sistema de common law, de origem
anglo-saxônica.
Foi diante desse panorama de incertezas constantes e informações espalhadas que surgiu a ideia da
presente obra, cujo propósito consiste em explicar o signicado de certos institutos de direito do trabalho,
principalmente do chamado direito do trabalho 4.0, fruto da Revolução Informacional e que deu origem a
essa sociedade info-info, caracterizada pela soma da informática com a informação.
Nota-se, cada vez mais, a invasão de estrangeirismos para o direito do trabalho pátrio. Expressões como
gig economy, big data, crowdwork, outsourcing, dentre várias outras, estão a cada dia mais impregnadas no
nosso cotidiano. É preciso que o jurista moderno – aquele que atua no nosso tempo – esteja preparado para
ser um moderno jurista – aquele que, além de atuar no nosso tempo, está com ele conectado e em sintonia.
Algumas expressões selecionadas não compõem o núcleo daquilo que se chama moderno direito do
trabalho, daí porque o título também faz alusão a outras expressões inusitadas e muitas vezes desconhecidas,
principalmente por aqueles que estão iniciando seus estudos na área.
Espera-se que a proposta encontre boa acolhida entre os prossionais da área jurídica. Mas, não só, pois
o trabalho se destina também a todos aqueles que, de uma forma ou de outra, convivem com o ramo traba-
lhista em seu cotidiano, tais como administradores, contabilistas, empresários e trabalhadores.
Brasília/DF, 27 de novembro de 2018.
Raphael Miziara
Professor. Advogado.
Editor do site www.ostrabalhistas.com.br
Instagram: @rmiziara e @informativos.tst
E-mail: miziararaphael@gmail.com

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO