Movimentos anti-sistêmicos e movimentos de humanização do parto: aproximações teóricas

Autor:Ana Maria Bourguignon - Felipe Simão Pontes
Cargo:Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, Brasil - Doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós-doutor em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR. Professor do Mestrado e do Departamento de ...
Páginas:108-120
RESUMO

Propõe-se discorrer sobre a possibilidade de analisar o movimento de humanização da assistência ao parto a partir do conceito de movimentos anti-sistêmicos desenvolvido por Wallerstein (2006) na obra "Impensar a ciência social: os limites dos paradigmas do século XIX". A intenção é fazer uma revisão desse conceito em cotejamento com os textos de Santos (1997; 2001), Scherer-Warren (2012) e... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, v.16, n.1, p.109-122 Jan-Abr 2019
ISSN 1807-1384 DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2019v16n1p108
Artigo recebido em: 25.09.2017 Revisado em 25.06.2018 Aceito em: 17.10.2018
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons
MOVIMENTOS ANTI-SISTÊMICOS E MOVIMENTOS DE HUMANIZAÇÃO DO
PARTO: APROXIMAÇÕES TEÓRICAS
Ana Maria Bourguignon
1
Felipe Simão Pontes
2
Resumo:
Propõe-se discorrer sobre a possibilidade de analisar o movimento de humanização
da assistência ao parto a partir do conceito de movimentos anti-sistêmicos
desenvolvido por Wallerstein (2006) na obra “Impensar a ciência social: os limites
dos paradigmas do século XIX”. A intenção é fazer uma revisão desse conceito em
cotejamento com os textos de Santos (1997; 2001), Scherer-Warren (2012) e
Grosfoguel (2008). Concluímos pela integração preliminar do conceito à
caracterização desse movimento, sob a condição de uma ampliação do conceito de
economia-mundo capitalista para outras formas de relações de poder como o
patriarcalismo, o colonialismo, o etnocentrismo e o sexismo.
Palavras-chave: Movimentos Anti-Sistêmicos. Movimentos Sociais e Participação.
Humanização do Parto.
ANTI-SYSTEMIC MOVEMENTS AND HUMANIZATION OF CHILDBIRTH
MOVEMENT: THEORETICAL APPROACHES
Abstract:
It is proposed to discuss the possibility of analyzing the humanization of childbirth
movement from the concept of anti-systemic movements developed by Wallerstein
(2006) in the book "Unthinking social science: limits of nineteenth-century
paradigms". Our intention is to revise this concept in comparison with texts of Santos
(1997, 2001), Scherer-Warren (2012) and Grosfoguel (2008). We conclude there can
be a preliminary integration of the concept into the characterization of this movement,
under the condition of an extension of the concept of capitalist world-economy to
other forms of power relations such as patriarchalism, colonialism, ethnocentrism and
sexism.
Keywords: Anti-Systemic Movements. Social Movements and Participation.
Humanization of Childbirth.
1
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais Aplicadas Universidade Estadual
de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, Brasil E-mail: anamariabourg@gmail.com
2
Doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós-doutor em
Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR. Professor do Mestrado e
do Departamento de Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR,
Brasil E-mail: felipe271184@yahoo.com.br

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO