Hipermobilidade estética e dispositivos de controle de circulação: o desejo de ser notado e encontrado na internet

Autor:Cristian Caê Seemann Stassun - Selvino José Assmann
Cargo:Psicólogo, Especialista em Psicologia Clínica, Mestre em Psicologia, Doutorando Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC - Professor Doutor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas
Páginas:153-177
RESUMO

Este artigo problematiza a forma com que os sujeitos que possuem acesso à Internet pelo computador ou por meio de dispositivos móveis socializam suas informações pessoais, fotos e, recentemente, códigos de localização remota. Exploramos o uso dessas tecnologias tentando entender como os usuários fazem de suas vidas uma estetização de personagens através de uma espetacularização da intimidade pela ... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1984-8951.2012v13n102p153
Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, v.13, n.102, p.153-177 jan/jun 2012
Hipermobilidade Estética e Dispositivos de Controle de Circulação:
o Desejo de Ser Notado e Encontrado na Internet
Hypermobility Aesthetics and Devices for Controlling the
Circulation: the Desire to Be Noticed and Found on the Internet
Cristian Caê Seemann Stassun
1, Selvino José Assmann2
Resumo
Este artigo problematiza a forma com que os sujeitos que possuem acesso à
Internet pelo computador ou por meio de dispositivos móveis socializam suas
informações pessoais, fotos e, recentemente, códigos de localização remota.
Exploramos o uso dessas tecnologias tentando entender como os usuários fazem de
suas vidas uma estetização de personagens através de uma espetacularização da
intimidade pela Internet. Essa exposição sensível faz com que os deslocamentos
pela Web figurem uma hipermobilidade sem fronteiras que estreitam as noções de
espaço-tempo, com relações instantâneas e de alcance global. Em contato com o
sujeito, estratégias de marketing balizam dispositivos de controle de circulação,
ferramentas de redes sociais e resultam em um desejo de ser notado e encontrado
no ciberespaço.
Palavras-chave: Hipermobilidade. Dispositivo. Internet. Redes Sociais. Riscos.
Abstract
This article discusses the way that the subjects, who have internet access by
computer or through mobile devices, socialize their personal information, pictures
and, recently, codes of remote location. It is explored the use of these technologies
trying to understand how users turn their lives into characters´ aestheticization
through intimacy spectacularization on the Internet. This exposure through the web
causes significant hypermobility without borders and narrow notions of space-time
with instant relations and global reach. In contact with the subject, marketing
strategies guide the traffic control devices, social networking tools, and they result in
a desire to be noticed and found in the cyberspace.
Key words: Hypermobility. Device. Internet. Social networks. Risks.
1 Psicólogo, Especialista em Psicologia Clínica, Mestre em Psicologia, Doutorando Interdisciplinar em
Ciências Humanas da UFSC. http://www.cristianstassun.com.br.
2 Professor Doutor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) do Programa de Pós-
Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas. E-mail para contato: selvinoas@terra.com.br.
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.
154
Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, v.13, n.102, p.153-177 jan/jun 2012
1 Introdução
As recentes formas de subjetividade construídas na relação com a Internet e
a possibilidade de circulação global, segundo Sassen (1991), formam a maioria das
imagens que dominam o cenário sobre a globalização econômica que enfatizou na
hipermobilidade e comunicação global a neutralização da noção de lugar e distância.
O termo hipermobilidade é um conceito guia que denota, nesses novos perfis dos
cidadãos globais, o modo de sua circulação fluida, sem fronteiras e sem custos. O
termo aponta para a necessidade de produção de uma capacidade de operação
global, coordenação e controle contido em novas tecnologias da informação, no
poder das corporações transnacionais e na readaptação das empresas para
capturar, com a mesma voracidade, a atenção dos consumidores através de
disparos da propaganda.
A noção de cidade global apresenta uma cidade como um contêiner onde
habilidades e recursos estão concentrados. Para Sassen (1991), quanto mais uma
cidade é capaz de concentrar habilidades e recursos, mais bem-sucedida e
poderosa é a cidade, tornando-a suficientemente poderosa para influenciar o que
ocorre em torno do mundo. Essa noção, comparada ao fenômeno da relação do
sujeito com a Internet, lugar onde encontra todos esses recursos e potencialidades
de deslocamento, faz sentido na construção de um significado mais concreto para a
capacidade de extensão das relações, desdobramentos de ações e principalmente
formação de grupos e redes no espaço virtual criando modelos que influenciam cada
vez mais as pessoas.
Acompanhando esse fenômeno de circulação por ambientes Web, novos
meios de registro de localização por sites da Internet, redes sociais, celulares e GPS
foram criados. Se por um lado muitos optam por circular anônimos por esse cenário,
tem-se percebido que redes sociais como o Facebook, Orkut, Youtube, Wordpress,
Flickr, Foursquare, Twitter, Google Latitude m alimentando uma verdadeira
espetacularização da intimidade, agora readaptada, onde pessoas mostram imagens
de seus corpos, seus pensamentos como expressão de suas individualidades, seu
cotidiano remoto através de mensagens de 140 caracteres respondendo o que estão
fazendo e principalmente registrando de onde estão falando, qual sua localização
atual, sua circulação habitual e seu roteiro de viagens. Fora a preocupação evidente

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO