Mutação genética aumenta o risco de câncer de pulmão em fumantes

Autor:Ricardo Sitzer
Ocupação do Autor:Sócio de Do Val, Pereira de Almeida, Sitzer e Gregolin Advogados.
Páginas:#4
RESUMO

Descoberta fetta por três grupos de cientistas em três estudos separados publicados neste mês de abril constatou que a maior ou menor dependência da nicotina, bem como o grau de risco de desenvolver um câncer de pulmão pode estar díretamente ligado a uma mutação genética no organismo do fumante.

 
TRECHO GRÁTIS

As equipes encontraram as mesmas variações genéticas na mesma região do genoma, o cromossomo 15, que contém receptores que reagem à nicotina. De acordo com esses trabalhos, os tabagistas que apresentam essa variação no gene, herdada de um de seus genitores, apresentam um risco 30% maior de desenvolver câncer de pulmão que a população em geral. Se este fumante, contudo, herdar tal mutação de ambos genitores o risco sobe para quase 60%. Nos não-fumantes, a presença das alterações genéticas não aumenta o risco de desenvolvimento do tumor

Os cientistas lembram que, mesmo no caso dos fumantes que não apresentam essa variação genética, a...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO