Família líquida e sua reinvenção sob o molde do afeto: encontros e desencontros

Autor:Dóris Ghilardi
Cargo:Professora Adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina
Páginas:135-156
RESUMO

O presente artigo tem como proposta discutir as transformações da família e seu delineamento atual, moldado a partir do afeto. As reflexões são parte da tese de doutorado da autora e surgiram em decorrência de várias inquietações acerca da utilização constante do afeto como um valor apto a reger e a reconstruir as relações e os paradigmas existentes no direito de família. A sustenção do discurso... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
Direitos Culturais, Santo Ângelo, v.12, n.26, p. 135-156, jan./abr. 2017
FAMÍLIA LÍQUIDA E SUA REINVENÇÃO SOB O MOLDE DO AF ETO:
ENCONTROS E DESENCONTROS
NET FAMILY AND ITS REINVENTION UNDER THE AFFECT MOLD:
MEETINGS AND DISENGUES
Dóris Ghilardi
1
Resumo: O presente artigo tem como proposta discutir as
transformações da família e seu delineamento atual, moldado a partir do afeto.
As reflexões são parte da tese de doutorado da autora e surgiram em
decorrência de várias inquietações acerca da utilização constante do afeto como
um valor apto a reger e a reconstruir as relações e os paradigmas existentes no
direito de família. A sustenção do di scurso embora legítima também é frágil, o
que auxilia na c ompreensão e percepção de forças externas que legitimam
discursos em nome da felicidade, mas que esconde pretensões econômicas. O
objetivo é trazer um pouco de luz para o arenoso campo do afeto, permitindo a
verificação de que as relações familiares se pautam em vários interesses e
sofrem diversas influências. Aliado a isso constroi-se um conceito de família,
com base na metáfora da liquidez, capaz de albergar formatos plurais,
realçando a sua importância para a estrutura da sociedade, bem como para a
estruturação do próprio sujeito.
Palavras-chave. Família. Afeto. Economia
Abstract: This article aims to discuss the transformations of the
family and its current design, molded from affection. The reflections are part of
the doctoral thesis of the author and arose as a result of several concerns about
the constant use of affection as a value apt to govern and to reconstruct the
relations and paradigms existing in the family law. The support of discourse,
while legitimate, is also fragile, which assists in the understanding and
perception of external forces that legitimize discourses in the name of
happiness, but which hides economic pretensions. The goal is t o bring a little
light into the sandy field of affection, allowing the verification that family
relationships are rooted in various interests and undergo various influences.
Allied to this is built a family concept, based on the liquidity metaphor, able to
accommodate plural formats, highlighting its importance for the structure of
society, as well as for the structuring of the subject itself.
Keywords: Family. Affection. Economy
Sumário: Considerações Iniciais; 1. A travessia da família no
tempo; 2. Família Líquida; 3. O papel do afeto; Considerações Finais;
Referências
1 Professora Adjunta da Universidade Federal de San ta Catarina. Doutora pela Universidade do Vale do
Itajaí. Pesquisadora. Endereço eletrônico: dorisghilardi@gmail.com
136
Direitos Culturais, Santo Ângelo, v.12, n.26, p. 135-156, jan./abr. 2017
CONSIDERAÇÕES INICIAIS
É inegável o fato de que a Família possui uma importância ímpar na
estrutura da sociedade, eis que detentora da tarefa fundamental de servir de núcleo
estruturante do sujeito.
A perda de fundamentos vinculados à religião judaico-cristã estremecem
alguns dos consensos mais duradouros da história, como a monogamia e o
patriarcalismo causando a irr upção de cenários até então desconhecidos ou
camuflados. Há um abandono da concepção unitária, casamentária, hierárquica e
patrimonial que perdurou durante longos séculos e que faz revelar de que a família
transcende a própria história e se reinventa com a exigência de novas técnicas de
regulação.
Só é preciso atenção à circularidade dos ac ontecimentos a fim de observar e
avaliar as suas recentes transformações, caracterizadas pela pluralidade, pela
igualdade de seus membros, pela democracia e afetividade, agora anunciados como
os seus novos pilares, a fim de não se tornar apenas um discurso retórico ou um
discurso manipulado pelos ditames mercadológicos vigentes.
Nessa linha, a problemática do artigo gira em torno do discurso vigente no
Direito de Família, que se pauta no afeto valor estruturante a fim de discutir se
ele é, de fato, a motivação primordial ou se sofre influências de outros setores, como
a economia de mercado v igente. O Direito de Família vive um momento
paradigmático, de verdadeira metamorfose, que requer atenção especial, para evitar
ser instrumentalizado por estratégias econômicas. Desafiando a lógica mercantilista,
a família busca incessantemente exercer seu pap el principal: o de servir como fonte
instituidora da personalidade dos sujeitos, auxiliando-os a reencontrar a sua
subjetividade, consoante com a dignidade, a solidariedade, o afeto e a felicidade.
Para tanto, inicia-se com as reflexões acerca das transformações da entidad e
familiar ao longo do tempo, retratando este núcleo que encerra os antagonismos
próprios de uma longa jornada, permeada por características diversas e influenciada
por ideologias dominantes. Em seguida, parte-se em busca de uma concepção de
família, e atenta a todas as difuldad es inerentes ao conceito, a liquidez aparece como
a metáfora que mais se aproxima desse desígnio, razão pela qual se propõe um
conceito de família líquida. Para encerrar, com olhar atento e até mesmo crítico
observa-se o discurso do afeto na família contemporânea. Tudo isso devidamente
embasado em revisão bibliográfica.
1. A TRAVESSIA DA FAMÍLIA NO TEMPO
Dúvidas não há de que a Família é, desde a s ua criação, do minada por
forças aparentes e ocultas que a impulsiona m a desempenhar papéis e funções ao
longo do tempo sempre em conformidade com as peculiaridades do momento e do
contexto em que está inserida. Os fundamentos que a identificaram por vários
séculos não surgiram gratuitamente e tampouco são obras do acaso, pelo contrário,
serviam como mecanismo à articulação do poder e do controle social.
Nessa senda, importa anotar que a estabilidade do laço conjugal, a
hierarquia, o patriarcalismo, a consanguinidade e a monogamia são frutos do direito
romanístico, instituídos apenas à elite culta e rica, porém, passara m a ser

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO