Estudo sobre a usabilidade das práticas de contabilidade gerencial mais intensamente usadas em empresas que atuam no Brasil

Autor:Rodrigo Paiva Souza - Paschoal Tadeu Russo - Reinaldo Guerreiro
Cargo:Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP) - Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP) - Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP)
Páginas:33-49
RESUMO

Este estudo teve como objetivo principal investigar os principais atributos que caracterizam a usabilidade da Práticas de Contabilidade Gerencial mais intensamente usada por gestores de diferentes níveis funcionais em organizações que atuam no Brasil. As dimensões de usabilidade foram mensuradas a partir dos constructos definidos por Mahama e Cheng (2013), a saber: coercivo, habilitante, reparo,... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
33
Artigo
Original
Artigo
Original
Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v. 17, n. 45, p. 33-49, out./dez., 2020.
Universidade Federal de Santa Catarina. ISSN 2175-8069. DOI : https://doi.org/10.5007/2175-8069.2020v17n45p33
Estudo sobre a usabilidade das práticas de contabilidade
gerencial mais intensamente usadas em empresas que atuam
no Brasil
Study on the usability of management accounting practices most intensely used by companies
operating in Brazil
Estudio sobre la usabilidad de las prácticas de contabilidad gerencial más intensamente utilizadas
en empresas que operan en Brasil
Rodrigo Paiva Souza
Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP)
Professor do Programa de Mestrado Profissional em
Controladoria e Finanças da FIPECAFI,
São Paulo/SP, Brasil
rodrigo.souza@fipecafi.org
https://orcid.org/0000-0002-5816-3991
Paschoal Tadeu Russo*
Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP)
Professor do Programa de Mestrado Profissional em Controladoria e
Finanças da FIPECAFI, São Paulo/SP, Brasil
paschoal.russo@fipecafi.org
https://orcid.org/0000-0002-7293-4385
Reinaldo Guerreiro
Doutor em Controladoria e Contabilidade (USP)
Professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
(USP), São Paulo/SP, Brasil
reiguerr@usp.br
https://orcid.org/0000-0002-6507-5965
Endereço do contato principal para correspondência*
Rua Maestro Cardim, 1170, Bairro: Bela Vista, CEP: 01323-001 – São Paulo/SP, Brasil
Resumo
Este estudo teve como objetivo principal investigar os principais atributos que caracterizam a usabilidade da
Práticas de Contabilidade Gerencial mais intensamente usada por gestores de diferentes níveis funcionais
em organizações que atuam no Brasil. As dimensões de usabilidade foram mensuradas a partir dos
constructos definidos por Mahama e Cheng (2013), a saber: coercivo, habilitante, reparo, flexibilização,
transparência interna e transparência global. O método de coleta de dados foi o survey, sendo enviados
questionários para empresas listadas no anuário Melhores & Maiores, publicado pela revista Exame. Foram
coletadas 149 respostas válidas de profissionais que atuam em diversas posições nas organizações. A análise
dos dados utilizou as técnicas de análise fatorial e de correspondência. Como principais achados, é possível
destacar que as práticas mais adotadas são aquelas relacionadas ao processo de gestão (Orçamento
empresarial, Planejamento estratégico e Variações orçamentárias), e os profissionais entendem que essas
práticas permitem realizar correções e facilitam a solução de problemas (dimensão reparo), bem como
melhoram a visibilidade do trabalho (transparência interna). Adicionalmente, os resultados mostram que os
contadores percebem as práticas mais utilizadas na empresa como ferramentas de controle (dimensão
coercitiva), enquanto outros profissionais de média gerência as percebem como ferramentas que os auxiliam
a desenvolver suas atividades de forma mais eficiente (dimensão habilitante).
Palavras-chave: Práticas de contabilidade gerencial; Usabilidade; Práticas mais utilizadas
Abstract
The main objective of the study was to investigate the main attributes that characterize the dimensions of
usability that justify the adoption of Management Accounting Practices more intensively used by managers
from different functional levels by Mahama and Cheng (2013), namely: coercive, enabling, repair,
flexibilization, internal transparency, and global transparency. Survey was the data collection method, and
questionnaires were sent to companies listed in the yearbook ‘Best & Largest’, published by Exame magazine.
We collected 149 valid responses from professionals working in different positions at the organizations. We
Estudo sobre a usabilidade das práticas de contabilidade gerencial mai s intensamente usadas em empresas que atuam no Brasil
34
Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, v. 17, n. 45, p. 33-49, out./dez., 2020.
Universidade Federal de Santa Catarina. ISSN 2175-8069. DOI : https://doi.org/10.5007/2175-8069.2020v17n45p33
carried out data analysis by using the factorial and correspondence analysis techniques. As main findings, we
highlight that the most adopted practices are those related to the management process (Budget, Strategic
planning, and Budget variations), and professionals understand that these practices allow corrections and
facilitate the solution of problems (repair dimension), as well as improve job visibility (internal transparency).
In addition, the results show that accountants perceive the most used practices as a control tool (coercive
dimension), while other middle management professionals perceive them as a tool that allows them to develop
their activities more efficiently (enabling dimension).
Keywords: Management accounting practices; Usability; Most adopted practices
Resumen
Este estudio tuvo como objetivo principal investigar los principales atributos que caracterizan las dimensiones
de usabilidad que justifican la adopción de las Prácticas de Contabilidad de Gestión utilizadas con mayor
intensidad por los gerentes de diferentes niveles funcionales en las organizaciones empresariales que operan
en Brasil. Las dimensiones de usabilidad se midieron a partir de las construcciones definidas por Mahama y
Cheng (2013), a saber: coercitiva, habilitación, reparación, flexibilización, transparencia interna y
transparencia global. El método de recopilación de datos fue la encuesta, y se enviaron cuestionarios a las
empresas que figuran en el anuario "Mejores & Más Grandes", publicado por la revista Exame. Se obtuvieron
149 respuestas válidas de profesionales que trabajan en diferentes puestos en las organizaciones. El análisis
de datos utilizó las técnicas de análisis de factorial y correspondencia. Como hallazgos principales, es posible
resaltar que las prácticas más adoptadas son aquellas relacionadas con el proceso de gestión (presupuesto
comercial, planificación estratégica y variaciones presupuestarias), y los profesionales entienden que estas
prácticas permiten correcciones y facilitan la solución de problemas (dimensión de reparación), así como
mejoran la visibilidad del trabajo (transparencia interna). Además, los resultados muestran que los contadores
perciben las prácticas más utilizadas en la empresa como herramientas de control (dimensión coercitiva),
mientras que otros profesionales de la gerencia media las perciben como herramientas que les ayudan a
desarrollar sus actividades de manera más eficiente (dimensión habilitadora).
Palabras clave: Prácticas de contabilidad gerencial; Usabilidad; Prácticas más utilizadas
1 Introdução
Este estudo adota o entendimento de que práticas de Contabilidade Gerencial (PCG) são os
instrumentos e/ou artefatos que a Contabilidade Gerencial utiliza como facilitadores da consecução dos seus
objetivos, tais como o orçamento empresarial, sistemas de custeio, Balanc ed Scorecard, entre outros
(ESPEJO, 2008; ESPEJO et al., 2009; FREZATTI, 2005; SOUTES, 2006; SOUTES; GUERREIRO, 2007;
SOUZA, LISBOA; ROCHA, 2003).
No Brasil, foram realizadas diversas pesquisas que buscaram avaliar o uso de práticas de
Contabilidade Gerencial em organizações (LOURENÇO; SAUERBRONN, 2018; RUSSO; PARISI; PEREIRA,
2016; AGUIAR et al., 2012; DÓRIA; CAMARGO FILHO; BOSQUETTI, 2005; FREZATTI et al., 2007;
GUERREIRO; CORNACHIONE; SOUTES, 2011; GONZÁLEZ, 2009; GUERREIRO et al., 2005; OYADOMARI
et al., 2008; REGINATO, 2010; REGINATO; GUERREIRO, 2012; SILVA JUNIOR; LUCIANO; TESTA, 2013;
SOUTES, 2006; SOUZA, LISBOA; ROCHA, 2003). Tais estudos, de maneira geral, analisam e evidenciam
quais as práticas utilizadas pelas empresas, tendo como base o pressuposto de que as diferentes práticas
são utilizadas em todas as organizações.
Pode-se considerar que, cada vez mais, sob um nível macro de observação, as PCG têm se tornado
mais homogêneas, conforme demonstram estudos em diversos países e organizações que as utilizam. Muito
embora possam existir fatores que expliquem essa tendência à homogeneização, os estudos têm ressaltado
os fatores isomórficos: coerção, normativismo e mimetismo (ALSHARARI; DIXON; YOUSSEF, 2015;
BRANDAU et al., 2013; GRANLUND; LUKKA, 1998; SCAPENS, 2006). Entretanto, não se pode afirmar que
as diferentes PCG sejam utilizadas com a mesma intensidade nas diversas organizações.
Uma das abordagens que vem sendo utilizada para avaliar o uso dessas práticas considera-as como
burocracias organizacionais, que tanto podem contribuir com seus usuários para que lidem eficazmente com
os desafios gerenciais, como podem dificultar, se foram mais voltadas à padronização e controle de suas
atividades (ADLER; BORYS, 1996). Nesse contexto, são empregados os conceitos de uso coercitivo versus
habilitante (AHRENS; CHAPMAN, 2004), em que os autores avaliaram as características da utilização de
sistemas de controle gerencial em uma rede de restaurantes no Reino Unido. Isso foi feito a partir de uma
adaptação do constructo coercitivo versus habilitante, desenvolvido por Adler e Borys (1996), que tem
possibilitado observar diferentes níveis de qualidade no uso de PCG.
Até o ano de 2017, o constructo de Adler & Borys (1996), , foi utilizado em mais de 1500 estudos
(STRAUSS; TESSIER, 2019). No Brasil, ainda são poucos os trabalhos que adotam essa abordagem teórica
para avaliar características específicas do uso de PCG nas organizações, sobretudo valendo-se do constructo
desenvolvido por Mahama e Cheng (2013) (SOUZA; BEUREN, 2018; BEUREN; SANTOS, 2019; BEUREN;
SANTOS; BERND, 2020; OYADOMARI et al., 2019).
Tais pesquisas sugerem que a percepção habilitante das práticas está associada diretamente à

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO