Crise capitalista e política de saúde pública: tendências atuais pertinentes à saúde mental brasileira

Autor:Elizangela Samara da Silva - Viviane Guedes Gonçalves de Moura
Cargo:Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)/Assa Abloy Nordeste/Metalúrgica Silvana
Páginas:55-67
RESUMO

O presente artigo objetiva demonstrar as características mais significativas da crise, tanto a cíclica como a estrutural, para o Sistema Capitalista, buscando enfatizar quais as principais implicações da mesma para a saúde pública e, consequentemente, para a política de Saúde Mental no contexto brasileiro. Para tal, se embasa no fato de que a conjuntura de crise estrutural, datada da década de... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
103
CRISE CAPITALISTA E POLÍTICA DE SAÚDE PÚBLICA: tendências atuais pertinentes à saúde mental
brasileira
R. Pol. Públ., São Luís, v. 19, n. 1, p. 103-115, jan./jun. 2015
CRISE CAPITALISTA E POLÍTICA DE SAÚDE PÚBLICA: tendências atuais pertinentes à saúde mental
brasileira
Elizangela Samara da Silva
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Viviane Guedes Gonçalves de Moura
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)/Assa Abloy Nordeste/Metalúrgica Silvana
CRISE CAPITALISTA E POLÍTICA DE SAÚDE PÚBLICA: tendências atuais pertinentes à saúde mental brasileira
Resumo: O presente artigo objetiva demonstrar as características mais significativas da crise, tanto a cíclica como a estrutural, para
o Sistema Capitalista, buscando enfatizar quais as principais implicações da mesma para a saúde pública e, consequentemente,
para a política de Saúde Mental no contexto brasileiro. Para tal, se embasa no fato de que a conjuntura de crise estrutural, datada da
década de 1970, tem gerado significativas mudanças nesta sociabilidade. A saúde pública no Brasil tem sofrido os rebatimentos do
ajuste neoliberal, em que há uma tendência de desmonte das políticas sociais, o que incide diretamente na área da saúde mental.
Esta última, neste sentido, pode assumir um perfil fragmentado, seletivo e focalizado, além da precarização das relações de trabalho.
Palavras-chave: Crise capitalista, políticas sociais, saúde pública, política de saúde mental.
CAPITALIST CRISIS AND PUBLIC HEALTH POLICY: current trends in Brazilian mental health
Abstract: This article aims demonstrating the most significant features of the crisis, whether cyclical or structural, for the capitalist
system, seeking to emphasize, which are its main implications for public health and consequently for Mental Health Policy in the
Brazilian context. To do so, we were based on the fact that the context of structural crisis, dating from the 1970s, has generated
significant changes in this sociability. Public health in Brazil has suffered the repercussions of the neoliberal adjustment, where there
is a tendency to dismantle social policies, what directly affects the mental health area. The latter, in this sense, can take a fragmented,
selective and focused profile in addition to the precarious labor relations.
Key words: Capitalist crisis, social policies, public health, mental health policy.
Recebido em: 25.02.2015 Aprovado em: 12.04.2015.

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO