Chuvas de granizo e desastre nos pomares de maçã catarinenses: produzindo uma agricultura de risco

Autor:Jó Klanovicz
Páginas:67-89
RESUMO

Este artigo discute a expansão de pomares de macieira no estado de Santa Catarina, Brasil e a relação que essa expansão teve com o risco das chuvas de granizo desde os anos 1960. O granizo foi, então, construído como desastre nos registros científicos e não científicos ligados à pomicultura da região. Para interpretar como o granizo passou a ser um dos principais agentes na construção da história ... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7976.2013v20n30p67
CHUVAS DE GRANIZO E DESASTRE NOS POMARES
DE MAÇÃ CATARINENSES: PRODUZINDO UMA
AGRICULTURA DE RISCO
HAILSTORMS, AND DISASTER IN APPLE ORCHARDS
OF SANTA CATARINA STATE: PRODUCING A RISKY
AGRICULTURE
Jó Klanovicz*
Resumo: Este artigo discute a expansão de pomares de macieira no estado
de Santa Catarina, Brasil e a relação que essa expansão teve com o risco das
chuvas de granizo desde os anos 1960. O granizo foi, então, construído como
     
região. Para interpretar como o granizo passou a ser um dos principais agentes
na construção da história da pomicultura no Brasil, foram utilizados documentos
técnicos e escritas criativas, documentos históricos e relatos sobre chuvas de
granizo, além de produção acadêmica recente sobre esse fenômeno climático.
A discussão levou em conta o emergente campo de pesquisa que aproxima
história ambiental e desastres.
Palavras-chaves: História Ambiental. Desastre. Chuvas de granizo.
Pomicultura.
Abstract:This article discusses the expansion of apple orchards in Santa
Catarina State, Brazil, and the relationship between this expansion of orchards

  
how hailstorms became a major player in the construction of the history of
pomiculture in Brazil, I used technical documents, creative writings, historical
* Professor no Programa de Pós-Graduação em História e Regiões da Universidade
Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO PR), no Programa de Pós-Graduação
Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário da mesma instituição e no Departamento
de História da UNICENTRO. E-mail: klanov@gmail.com
68
Revista Esboços, Florianópolis, v. 20, n. 30, p. 67-89, dez. 2013.
documents and ordinary accounts on hailstorms, as well as recent academic
production on this climatic phenomenon. The discussion took into account the

Keywords: Environmental History. Disaster. Hailstorms. pomiculture.
Entre os primeiros anos da década de 1960 e 2006, um pomar
experimental de frutas de clima temperado transformou-se em mais de 7.200
hectares de macieiras no município de Fraiburgo, meio-oeste de Santa Catarina.
Diversas obras de história local e regional e vários trabalhos de orientação
econômica e política exaltaram o empreendedorismo e a tecnologia como
elementos cruciais para o sucesso da pomicultura na região, convertendo
Fraiburgo de uma vila de trabalhadores de serraria em um importante polo de
atração de mão de obra especializada na fruticultura, além de uma cidade que
passou a organizar sua economia, sua vida social, cultural e política em torno
de uma única fruta, a maçã.1
Durante quase quarenta anos, o trabalho de transformação das paisagens,

importantes, foi comemorado como elemento crucial para converter o
território de Fraiburgo, primeiro, em “verdadeiro campo de experimentação

experimentação ambiental, especialmente quando falamos em estratégias de
controle da paisagem, inclusive da atmosfera. Como resultado, uma autora de
história local observou, entusiasticamente, em 1984, que Fraiburgo era uma
“esmeralda” no planalto de Santa Catarina, no qual os pomares contribuíram
para a “expansão do verde” e do equilíbrio ecológico.2 Pouco adiante, na mesma
obra, a autora enfatiza que, em 1984, tudo estava perfeito no que dizia respeito

transformavam a pomicultura em base do desenvolvimento socioeconômico,
   
uma agricultura em larga escala, que, apesar de toda a tecnologia empregada,
convive com problemas de ordem “natural”, como chuvas de granizo ou geadas
tardias. Ao tecerem verdadeiras apologias ao empreendedorismo imigrante e
migrante e ao clima “europeu” ou melhor, “europeizado” da localidade, essas
narrativas sobre a pomicultura, mesmo pontuando alguns problemas climáticos
e intempéries, deixaram-no em segundo plano, no campo das promessas de
solução tecnológica, que constituíam materialmente incertezas subjacentes
 
registradas sob as mais variadas formas.
O clima e as condições meteorológicas regionais, a partir da implantação
de pomares, tornaram-se fatores de risco, ainda mais que o meio-oeste de Santa
Catarina é um dos locais de maior incidência de granizo na América do Sul,


Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO