Armado com sua fé e sua medicina: visões da África e do africano a partir do diário de Albert Schweitzer

Autor:Naiara Krachenski Stadler
Cargo:Doutoranda no Programa de Pós Graduação em História na Universidade Federal do Paraná, Curitiba/PR, Brasil
Páginas:378-390
RESUMO

Este artigo tem como objetivo compreender de que formas o discurso médico foi um elemento estruturante na produção e reprodução sobre estereótipos da África e do africano no contexto do imperialismo europeu. Para tanto, utilizamo-nos como fonte principal as memórias do médico alemão Albert Schweitzer sobre seu trabalho entre os anos de 1913 e 1916 na África Equatorial Francesa. Em um primeiro... (ver resumo completo)

 
TRECHO GRÁTIS
Direito autoral e licença de uso: Este artigo está licenciado sob uma Licença Creative
Commons. Com essa licença você pode compartilhar, adaptar, para qualquer m, desde que atribua a
autoria da obra, forneça um link para a licença, e indicar se foram feitas alterações.
DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7976.2018v25n40p378
Armado com sua fé e sua medicina: visões da África e do
africano a partir do diário de Albert Schweitzer
Armed with his faith and his medicine: visions of Africa and the
African from Albert Schweitzer’s diary
Naiara Krachenski Stadler*
Resumo: Este artigo tem como objetivo compreender de que formas o
discurso médico foi um elemento estruturante na produção e reprodução sobre
estereótipos da África e do africano no contexto do imperialismo europeu.
Para tanto, utilizamo-nos como fonte principal as memórias do médico alemão
Albert Schweitzer sobre seu trabalho entre os anos de 1913 e 1916 na África
Equatorial Francesa. Em um primeiro momento, analisamos os motivos e
intenções apresentados pelo autor para iniciar sua jornada. Em um segundo
momento, apontamos para dois estereótipos que são utilizados recorrentemente
no texto de Schweitzer – a preguiça inata do negro e sua dependência ao álcool.
Finalmente, apontamos outras duas características que aparecem nas memórias
do médico e estruturam o modo de pensar imperialista: a pretensa superioridade
europeia em relação aos africanos e a construção de uma alteridade animalesca.
Palavras-chave: Imperialismo; Discurso médico; Colônias africanas.
Abstract: The objective of this article is to comprehend in which ways the
medical discourse was a structural element in the production and reproduction
of stereotypes about Africa and the African in the context of European
imperialism. Therefore, we use as main source the memoirs of the German
physician Albert Schweitzer about his work between 1913 and 1916 in French
Equatorial Africa. At rst, we analyse the motives and intentions presented by
* Doutoranda no Programa de Pós Graduação em História na Universidade Federal do Paraná,
Curitiba/PR, Brasil. E-mail: nkrachenski@gmail.com
Artigo

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO