• A vida, o mundo e o direito. Liberdade e ética igualdade e meritocracia religiosidade e ateísmo

Editora:
Pillares
Data de publicação:
2018-09-26
Autores:

(Juiz de Direito aposentado)
ISBN:
978-85-8183-110-7

Descrição:

Nesta 2ª edição, com propósito de deixar a leitura mais agradável, além das correções, reescrevemos tópicos e adicionamos diálogos, para melhor acla­ramento dos pontos de vista. Como dito na 1ª edição, este livro des­tina-se às pessoas que, instintivamente, analisam condutas humanas singulares isoladas ou em grupo. Dessas análises decorrem conceitos e reflexões sobre o viver, o conviver e o deixar viver, sedi­mentando uma escala de valores sociais. Reafirmo que os escritores, em maio­ria, são otimistas. As ideologias abra­çadas, mais que traço de vaidade inte­lectual, são lutas perenes e quixotescas contra “moinhos de vento”. O desejo e o impulso de melhor futuro para a humani­dade são os objetivos do escrever literá­rio ou acadêmico, analítico ou artístico, crítico ou criativo. E a ficção literária é espaço livre para registros poéticos ou prosaicos dos diferentes modos de ver, de sentir e de pensar. Mesmo porque a visão de mundo varia em razão da matu­ridade na vivência e da sensibilidade do olhar sobre as circunstâncias que massi­ficam e massacram o vivente. Neste livro, a ficção se desenvolve por meio de narrativas e diálogos contemplan­do diferentes pontos de vista, questionan­do o início e o fim da vida; necessidades e possibilidades; desejos de conforto ma­terial e a indispensável contrapartida con­tributiva, e assim por diante. Essas mul­tiplicidades de visão/interesse decorrem das singularidades biopsíquicas humanas. O propósito dos registros é assegurar a sobrevivência individual e a coletiva, con­comitantemente. Tudo somado, o destino é único: aplaudir as condutas que se pres­tam para um melhor conviver. Para esse fim, a preservação das liberdades públicas pende dos necessários limites, caso a caso. Voluntários ou impostos, esses limi­tes caracterizam ética. Em formato romanceado, este livro tem, também, viés acadêmico multidisci­plinar na medida em que a linguagem co­loquial bem-humorada, as análises e os diálogos críticos, zombeteiros, satíricos e/ou sarcásticos apontam rumos para o conviver. O fio norteador dos enredos é a valorização dos princípios da meritocra­cia e da ética. Esta, como valor cultural voltado para a solidariedade social visí­vel e invisível. Aquela, como contraponto da igualdade, é valor biopsíquico/social. É estímulo ao empenho/desempenho com vistas à justa recompensa. A adoção de ambas – ética e meritocracia – resul­ta em convívio social pacífico, solidário e prazeroso. As narrativas e os diálogos incidindo sobre fatos reais do cotidiano enlaçam vários ramos do Direito e resvalam nas ciências da Psicologia, Medicina, Biolo­gia, Sociologia, Política, Economia, Peda­gogia, Cosmologia, Teologia e Filosofia, dentre outras. Em síntese, é leitura de lazer, de infor­mação e de reflexão. Em propósito modes­to, servir de ponte entre os que pouco sabem aos que sabem muito; e, aos acadêmicos e docentes, motivar debates.