• Revista de Políticas Públicas

Editora:
Universidade Federal do Maranhão
Data de publicação:
2010-09-08
ISBN:
2178-2865

Descrição:

A Revista de Políticas Públicas (RPP) é uma publicação acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da Universidade Federal do Maranhão, de periodicidade semestral, destinada a publicar trabalhos científicos produzidos por pesquisadores brasileiros e de outros países, quando considerados relevantes para o avanço teórico-prático das Políticas Públicas.

Tem o objetivo de promover e disseminar a produção do conhecimento, o debate e a socialização de experiências acadêmicas, mediante a publicação de artigos, ensaios, resenhas e entrevistas, assim como criar mecanismos de intercâmbios científicos do Programa com outros programas de pós-graduação e instituições de pesquisa no Brasil e no exterior.

Documentos mais recentes

  • Editorial
  • Reformas regressivas e políticas públicas: afirmação do direito à educação como desafio contemporâneo - Entrevista especial com Márcia Ângela Aguiar
  • A (in)segurança silenciosa nos câmpus universitários: estudo na Universidade Federal do Triângulo Mineiro

    A segurança pública é um dos principais problemas sociais do Brasil e incide em todas as esferas da sociedade, inclusive nas Universidades. O objetivo desta pesquisa foi realizar um diagnóstico da segurança institucional na Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM com o intuito de desenvolver e implantar uma política de segurança na universidade. Trata-se de estudo de caso, com pesquisa bibliográfica, documental, entrevista e grupos focais. O diagnóstico evidenciou a insegurança silenciosa que a comunidade acadêmica da UFTM vive, com problemas estruturais e organizacionais.Os resultados mostraram a necessidade de desenvolver ações de intervenção relacionadas à segurança no entorno da universidade, implementação de câmeras de vigilância e de departamento de segurança institucional, termais vigilantes e melhorar o controle na entrada das unidades da universidade.

  • Freitas, Luis Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018. 160 p.
  • A centralidade da educação no combate à pobreza: a visão de profissionais que atuam com populações empobrecidas

    O artigo apresenta uma análise das concepções de educação e de pobreza de profissionais da educação e de outros envolvidos com populações empobrecidas, matriculados nos Cursos de Especialização e Aperfeiçoamento em Educação, Pobreza e Desigualdade Social, desenvolvidos, respectivamente, pela Universidade Federal de Santa Catarina e pela Universidade de Brasília, objetivando discutir a centralidade atribuída à educação no enfrentamento da pobreza. É parte de uma pesquisa mais ampla pautada numa perspectiva quantitativa e qualitativa quanto à abordagem, básica quanto à natureza, exploratória e descritiva quanto aos objetivos e bibliográfica e documental quanto aos procedimentos. Conclui que pode estar ocorrendo uma relativização do papel da educação no combate à pobreza.

  • Abordagens institucionalistas e as contribuições na análise de políticas públicas

    As abordagens institucionalistas têm sido amplamente utilizadas nos estudos acadêmicos. Considerando a importância dessas abordagens também na análise das políticas públicas, este trabalho objetiva explorar seus conceitos e autores, propondo uma releitura no contexto das políticas públicas. O trabalho considera uma profícua aproximação das abordagens do neo-institucionalismo da escolha racional e da Nova Economia Institucional (NEI). Ainda, elementos comuns na discussão da velha economia institucional com o neo-institucionalismo sociológico e com o neo-institucionalismo histórico. Ressalta-se o potencial da utilização das abordagens institucionalistas na análise de políticas públicas, considerando a complexidade do processo de construção de políticas públicas e a influência da cultura, dos valores, dos interesses, dentre outros, nas diversas etapas do ciclo da política.

  • A educação do campo e o fim das políticas públicas como as conhecemos: questões para reflexões de futuro

    O presente ensaio propõe-se a analisar a Educação do Campo no seu triplo signo - Campo - Educação - Políticas Públicas, com ênfase no processo de institucionalização de políticas públicas num contexto histórico de abertura na construção da democracia como regime que institui direitos, em relação ao contexto atual de regressividade nas políticas educacionais. O projeto de empresariamento da educação em todos os níveis impõe um conjunto de medidas visando o encolhimento dos espaços de luta dos/as trabalhadores/as, especialmente dos 3camponeses, indígenas e quilombolas e elimina os mecanismos garantidores das condições de acesso e permanência ao ensino público e gratuito por estas populações. Apresenta ainda um conjunto de questões para reflexão dos/as educadores/as e movimentos sociais populares na perspectiva da resistência ativa e ampliação do espaço público.

  • Análise bibliométrica sobre políticas públicas

    Este trabalho tem como objetivo mostrar a evolução do tema políticas públicas no contexto mundial e nacional por meio de uma análise bibliométrica. Faz um levantamento de indicadores mais gerais na avaliação global, como o histórico temporal das publicações e os países que mais debatem sobre o tema; enquanto na conjuntura brasileira traz indicadores mais específicos, tais como a rede de colaboração do Brasil com outros países e instituições. Os resultados mostraram que a primeira publicação sobre o tema estudado surgiu em 1909, no cenário mundial, e em 1987 no Brasil; os Estados Unidos destacaram-se na pesquisa com maior número de publicações. Apesar do desenvolvimento tardio na área de políticas públicas, o Brasil ocupa o quarto lugar no ranque mundial. Em relação às instituições, a USP concentra o maior volume de trabalhos publicados, no entanto, Estados Unidos ganha no todo.

  • A inconstitucionalidade do movimento 'escola sem partido

    O artigo analisa, do ponto de vista legal e constitucional, os desígnios do movimento "Escola Sem Partido" por meio de uma pesquisa doutrinária profunda sobre a finalidade constitucional da educação no Brasil e também sob a perspectiva de julgados do Supremo Tribunal Federal (STF) e dos Tratados Internacionais. Este estudo é feito através de pesquisa bibliográfica profunda e exame de julgados e visa a ressaltar a inconstitucionalidade dos instrumentos normativos que derivam do movimento "Escola Sem Partido", em relação ao propósito do movimento e nos termos já analisados pelo STF, com destaque para os princípios e garantias constitucionais violados, especialmente aqueles que devem alcançar o exercício de cátedra e a garantia plena de acesso à educação.O artigo, ademais, justifica a conclusão pela inconstitucionalidade dos instrumentos derivados do movimento, com a devida indicação das violações, que se mostram incompatíveis com a garantia de uma sociedade democrática.

  • Avaliação de política pública para hospitais de pequeno porte: um referencial para a efetividade

    O presente artigo tem como objetivo descrever o processo de avaliação de uma política pública, através do estudo de caso do hospital municipal de pequeno porte do município de Quijingue no estado da Bahia. Utiliza o método dedutivo, com a coleta indireta dos dados, através de pesquisa documental e bibliográfica que fundamentaram o tema. Divide o estudo em três etapas: a primeira busca definições e conceitos acerca da Política Nacional de Hospitais de Pequeno Porte (PNHPP); a segunda sobre um referencial teórico de avaliação de políticas públicas; e a terceira etapa relata o estudo de caso do HPP do município de Quijingue (BA) para as considerações finais.

Documentos em destaque