• Revista de Políticas Públicas

Editora:
Universidade Federal do Maranhão
Data de publicação:
2010-09-08
ISBN:
2178-2865

Descrição:

A Revista de Políticas Públicas (RPP) é uma publicação acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da Universidade Federal do Maranhão, de periodicidade semestral, destinada a publicar trabalhos científicos produzidos por pesquisadores brasileiros e de outros países, quando considerados relevantes para o avanço teórico-prático das Políticas Públicas.

Tem o objetivo de promover e disseminar a produção do conhecimento, o debate e a socialização de experiências acadêmicas, mediante a publicação de artigos, ensaios, resenhas e entrevistas, assim como criar mecanismos de intercâmbios científicos do Programa com outros programas de pós-graduação e instituições de pesquisa no Brasil e no exterior.

Documentos mais recentes

  • A civilizaão ocidental e a acirrada dialética intelectual em torno do fascismo

    Falando de fascismo, muitas vezes, encontramos leituras bastante superficiais que atribuem essa definião para qualquer movimento conservador ou fenômeno autoritário. Na realidade, o fascismo tem suas próprias características, que precisam ser conhecidas. Estudar todo o conjunto complexo e articulado de contradiões que, de forma direta ou indireta, caracterizaram a história da civilizaão ocidental fica essencial para compreender umas das épocas mais dramáticas na história da humanidade contemporânea. O fascismo é o produto das contradiões objetivas e subjetivas das sociedades liberais em crise, mas também um desenvolvimento político e cultural não alheio à brutal civilizaão europeia que submeteu e escravizou os chamados “povos primitivos”. Não reconhecer esses elos orgânicos, recusando-se a historicizar e enquadrar filosoficamente premissas e causas racionais desse fenômeno, leva, inevitavelmente, à utilizaão das categorias anti-históricas da teratologia, que pretendem representar a realidade como resultado inexplicável da loucura, da monstruosidade e da deformidade. Palavras-chave: Fascismo. Civilizaão ocidental. Crise de hegemonia.

  • Gênero, trajetorias socias e interseccionalidades: debates políticos contemporâneos tecidos na realidade brasileira

    A proposta se constitui em problematizar espaos sociais que encarnam e reproduzem o lugar socialmente construído da mulher atrelado às concepões de subalternizaão e subordinaão. Diante disso, buscamos compreender como esses elementos, simultaneamente, tecem práticas e discursos desiguais, opressores e violentos, ao passo que tencionam multiplas formas de resistências cotidianas. Estes processos entrecruzam eixos estruturantes da sociedade brasileira, a saber: raa, gênero e classe social. Diante disso, apresentamos pesquisas que visam a reproduão da vida social na sociabilidade do capitalismo contemporâneo trazendo como ponto de partida produões culturais e políticas na realidade que atravessam relaões de gênero. A partir das análises críticas, debatemos a construão de múltiplas resistências situadas nas trajetórias sociais de mulheres, pobres, negras e periféricas, inseridas em contextos específicos marcados pela vulnerabilidade social e diversas desigualdades. Palavras-chave: Gênero. Trajetórias. Interseccionalidades

  • La democratización del trabajo en cuba: logros, contradicciones y desafíos

    La autora analiza algunos elementos conceptuales acerca del trabajo y su democratización. El artículo presta atención a las concepciones de Fidel Castro y Che Guevara sobre el rol del trabajo y de los trabajadores y sobre políticas públicas relacionadas con el mundo del trabajo en Cuba socialista. Las contradicciones que afectan la productividad del trabajo con negativas influencias en las subjetividades también son consideradas y analizadas. Especial atención se brinda al análisis de las incidencias que tiene el proceso de transformación del modelo de desarrollo socialista en Cuba, en lo relacionado con trabajo, ingresos y salarios, junto con los desafíos que existen en ese campo. Se reflexiona sobre políticas y programas que se implementan para enfrentar los desafíos y perfeccionar el mundo laboral y las condiciones de vida de los trabajadores. Palabras-clave: Trabajo. Democratización del trabajo. Transición socialista. Modelo de desarrollo.

  • Gestão de sistemas municipais de ensino, ensino médio e formaão na amazônia paraense

    O texto versa sobre Gestão de Sistemas Municipais de Ensino, Ensino Médio e Formaão na Amazônia paraense no contexto do pacto federativo. Objetiva discutir a categoria autonomia no regime de colaboraão como base do Sistema Nacional de Educaão à formulaão das políticas públicas. Por meio de pesquisa bibliográfica e documental, focalizamos a relaão federativa para efetivar a gestão das políticas públicas de Ensino Médio diante de controversos e diversos problemas que permeiam a formaão. Consideramos que a configuraão do ente federado municipal corrobora para urgência da devida articulaão no SNE que carece perseguir uma postura coletiva de resistência no percurso das políticas, expresso por normativas que submetem o docente ao cumprimento de exigências que sustentam o sistema capitalista. Palavras-chave: Gestão. SME. Políticas educacionais. Ensino Médio. Formaão.

  • Rosa luxemburg et quelques eclairages contemporains: démocratie « formelle » et processus d'émancipation

    Reler Rosa Luxemburgo, confrontar suas reflexões com algumas situaões... O Maio francês, com dez milhões de grevistas, é em 68 uma "ocasião perdida", uma vitória sindical e uma derrota política. Nenhuma fora política fortaleceu o simples projeto de desafiar as dominaões sociais e, ao mesmo tempo, um projeto para remodelar as complementaridades entre a democracia representativa e as formas de "conselhos", comitês de greve, assembleias populares... Da mesma forma, o movimento dos coletes amarelos queria uma forma mais direta de democracia, ser ouvido e poder propor leis; as foras políticas se contentaram em vê-los apenas como uma luta contra o governo atual e uma preparaão para as próximas eleiões. Em nível internacional, as políticas liberticidas, de austeridade e antiecológicas exigem uma direão articulada de vários movimentos. Hoje também, a defesa de um princípio de liberdade, "o trabalho não é uma mercadoria" (artigo 1º da Declaraão da OIT), é inseparável da democracia ativa e da formalizaão dos "comuns". Rosa Luxemburgo esclarece a exigência de se poder recuperar o controle sobre sua vida, a liberdade individual não limitada pela propriedade, uma autonomia para cada um, cada uma. Palavras-chave: Rosa Luxembourg. Movimentos sociais. Processos de emancipaão.

  • Globalizaão e a dinâmica econômica e territorial na américa latina

    O artigo aborda o debate contemporâneo da chamada globalizaão neoliberal e a dinâmica socioeconômica e territorial nas áreas periféricas do capitalismo, ocasionadas pelas formas de integraão que privilegiam a financeirizaão frente aos aspectos produtivos, realizadas por países da América Latina. Um elemento importante para a compreensão do neoliberalismo que impôs a todos uma lógica destrutiva de conquistas históricas (Welfare State), foi fugir da visão do mainstream econômico e se apoiar na Economia Política e correntes heterodoxas. Esta forma de inserão, baseada em commodities, direciona as políticas econômicas, sociais e ambientais de acordo com os preceitos neoliberais e consolida um padrão de crescimento, instável e vulnerável que aumenta o grau de dependência e responde pelo quadro de desigualdade e expropriaão de minorias excluídas da globalizaão financeira. O cerne da questão está na desregulamentaão dos fluxos financeiros, comerciais e de servios propostos pelo fundamentalismo de mercado, que se impôs a todos, sob a complacência de um Estado Nacional que se apequena no exercício do seu papel promotor de desenvolvimento e de políticas públicas. Palavras-Chave: Globalizaão neoliberal. Formas de integraão. Dinâmica econômica. Áreas periféricas. Estado Nacional.

  • O trabalho na era digital e os desafios da emancipaão

    Este artigo busca contribuir para a reflexão acerca dos desafios da esquerda frente à nova revoluão tecnológica em curso, a assim chamada Quarta Revoluão Industrial ou Indústria 4.0. Para isso, fará uma rápida passagem por alguns autores que se defrontaram com revoluões tecnológicas nas décadas passadas, em particular no mundo do trabalho, para mostrar as várias possibilidades de interpretaões positivas e negativas desses processos. Em seguida, pontuará algumas questões acerca da revoluão em curso, em particular as transformaões no trabalho e nas relaões sociais produzidas pelas “plataformas digitais”. Por fim, sem nenhuma pretensão de esgotar o debate, delineará algumas questões que considera desafios para as esquerdas e o pensamento crítico frente a essas mudanas. Palavras-chave: Sociologia do trabalho. Plataforma digital. Trabalho em plataforma. Emancipaão.

  • Juventudes e política de assistência social no brasil pós-constituião federal de 1988: análise de programas e servios

    O artigo objetiva discutir sobre juventudes e Assistência Social, examinando-se as diretrizes desta política junto aos jovens na realidade brasileira pós-Constituião Federal de 1988. A metodologia utilizada consistiu em estudo bibliográfico e documental, analisando-se os aspectos que perpassam o reconhecimento das juventudes como sujeitos de direitos e os principais programas implementados para jovens a partir dos anos 2000 no Brasil, tendo como base uma discussão acerca das diretrizes postas para os servios socioassistenciais e para a gestão do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), de forma a examinar se estas contribuem para a visibilidade de interesses, demandas e necessidades, bem como para a assistência e a participaão destes segmentos sociais. Os resultados evidenciam que, a partir da criaão da Secretaria Nacional de Juventude e da aprovaão do Estatuto da Juventude, houve a incorporaão de algumas aões na agenda pública brasileira com base em programas para jovens vulneráveis, sobretudo, na preparaão para o trabalho, que dão continuidade a uma perspectiva de setorializaão, considerando que não configuram uma dimensão mais universalista. No âmbito da política de Assistência Social, essa perspectiva é reiterada no contexto do SUAS, diante da fragilidade dos mecanismos de participaão de jovens e da insuficiência/fragilidade dos servios que são ofertados para estes segmentos sociais. Palavras-chave: Juventudes. Direitos. Políticas Públicas.

  • A crise capitalista, o avano da direita no continente latino-americano, e os desafios para a resistência

    Este artigo é fruto da apresentaão de uma mesa coordenada, na JOINPP 2019, cuja temática era “Civilizaão ou Barbárie”. Representa o conjunto das apresentaões e, portanto, um resumo das discussões travadas naquele momento, e justifica um artigo com cinco autores. O avano da direita com novas formas de organizaão, que culmina com a eleião de Jair Bolsonaro, como é o caso do Brasil e os desafios para os movimentos sociais, partidos políticos, neste panorama. Palavras-chave: Democracia. Direita. Fascismo. Bolsonarismo.

  • Mobilidade do capital e estratégias de acumulaão capitalista na amazônia e cerrado brasileiros

    O presente artigo debate o avano do capital e os desdobramentos por entre e sobre os territórios do movimento combinado de acumulaão e expropriaão, que funciona em concomitância à apropriaão e despossessão dos bens comuns e dos modos de vida na Amazônia e no Cerrado brasileiros. Analisam-se duas situaões distintas: 1) a “guerra” entre uma comunidade tradicional e uma empresa multinacional situada no município de Barcarena/ Pará; 2) um cenário de luta da diversidade de vida contra a economia de um só plantio na região do denominado Matopiba, no leste maranhense e no norte do Tocantins. Por fim, ressaltam-se os Protocolos de Consulta como instrumentos de luta e afirma-se que tão importante quanto olhar as situaões, compreendendo a territorializaão do capital, é contrapor estas narrativas, desde formas política e juridicamente de reivindicaão do direito à própria existência enquanto permanência. Palavras-chave: Amazônia e Cerrado. Mobilidade do capital. Expropriaão. Povos tradicionais. Resistência.

Documentos em destaque