• Revista Contemporânea de Contabilidade

Editora:
Universidade Federal de Santa Catarina
Data de publicação:
2011-03-11
ISBN:
1807-1821

Descrição:

A Revista Contemporânea de Contabilidade (RCC) tem por missão interagir com diferentes públicos e instituições no que diz respeito aos conhecimentos contábeis, tanto em nível nacional como internacional, divulgar e fomentar o desenvolvimento de metodologias e procedimentos nas áreas do ensino, da pesquisa e da extensão em atividades contábeis, e contribuir para a formação humana e profissional nos limites das discussões e possibilidades das Ciências Econômicas e Sócio-Aplicadas.

Documentos mais recentes

  • Experiência do Brasil na implementação das IPSAS

    Considerando o pequeno número de estudos empíricos sobre a adoção das IPSAS nos países latino-americanos, este artigo tem como objetivo compreender a implementação do IPSAS no Brasil, apresentando os arranjos institucionais nacionais, os progressos realizados desde o início da reforma, os desafios encontrados no cenário brasileiro e os resultados observados até 2017. A Nova Teoria Institucional é usada para conhecer o ponto de vista dos atores envolvidos, e as barreiras de transição esboçadas no estudo de Ouda (2008) foram consideradas. Para tratar a questão da pesquisa, foram entrevistados os atores-chave no processo de condução e promoção da reforma brasileira, e aplicado questionário durante reunião do Grupo Técnico de Normalização de Procedimentos Contábeis (GTCON). Os resultados mostram que apesar de o processo de adoção às IPSAS no Governo brasileiro ter iniciado em 2008, a reforma ainda está em estágio inicial, havendo a necessidade de maior interação entre os atores envolvidos.

  • Mensuração da ociosidade fabril pelos métodos ABC, TDABC e UEP

    A partir do CPC-16 a contabilidade de custos deu mais atenção aos aspectos relacionados com as capacidades teórica, real e normal de produção, visto que o conhecimento destas é requerido para apurar o custo a ser atribuído aos produtos estocados ou vendidos. Nesse sentido, foi estabelecido como objetivo geral mensurar a ociosidade, de forma comparativa, pelos métodos UEP, ABC e TDABC no contexto de uma pequena empresa. A análise dos dados permitiu os seguintes resultados: alguns valores de custos unitários apurados pelos três métodos resultaram diferentes se apurados pela concepção original destes; nos três métodos é possível identificar a produção ociosa para atribuir-lhe valor monetário e verificar o percentual correspondente sobre a capacidade instalada.

  • Eliminação da consolidação proporcional: análise da adequação da decisão do IASB

    O objetivo é analisar os argumentos dos respondentes que se manifestaram durante o período de audiência pública do Exposure Draft 09 - Joint Arrangements, com o propósito de inferir sobre a adequação da decisão do IASB de eliminar a consolidação proporcional. Utilizando-se a técnica de análise de conteúdo, foram analisadas as 111 cartas enviadas para o IASB. Dessas, 107 se manifestaram sobre a eliminação da consolidação proporcional e 68 afirmaram não concordar com a decisão do IASB, evidenciando um elevado nível de rejeição. Os países com maior taxa de rejeição estão na Europa e os com maior aceitação são da Ásia. Dentre os grupos de interesse com maior rejeição estão as empresas de auditoria e as associações profissionais. Esta pesquisa argumenta que a consolidação proporcional resulta em informações contábeis de maior relevância que o MEP e que a divulgação de informações adicionais não compensará a perda informacional da consolidação proporcional.

  • Editorial
  • Estilo de liderança, assimetria de informação e uso avaliativo do orçamento constituem-se antecedentes a participação orçamentária?

    Este estudo investiga os motivos pelos quais superiores incentivam a participação do subordinado nos processos orçamentários de empresas industriais sediadas no Brasil, mediante análise dos efeitos de antecedentes a participação orçamentária: estilo de liderança, assimetria da informação e uso avaliativo do orçamento. Pesquisa descritiva foi realizada mediante levantamento, com aplicação de questionário em amostra de 106 gerentes, analistas, coordenadores de orçamento ou controllers, e análise quantitativa dos dados, com auxílio de Modelagem de Equações Estruturais. Os resultados revelaram que superiores encorajam a participação dos subordinados quando o estilo de liderança do superior é considerado. Os motivos pelos quais os superiores incentivam esta participação estão relacionados a: obtenção de informações privadas de conhecimento de gestores subordinados; e, definição de objetivos e metas orçamentárias para avaliação de desempenho. Nem todos os antecedentes testados foram confirmados no contexto de atuação das empresas sediadas no Brasil, o que abre perspectivas a realização de novos estudos sobre o tema. Concluiu-se que estilo de liderança, uso avaliativo do orçamento e incentivo a participação orçamentária constituem-se antecedentes a participação dos gestores subordinados nos processos orçamentários de suas organizações. Estes achados permitem compreender o papel do líder nas organizações, a importância da utilização de metas orçamentárias para avaliação de desempenho dos subordinados e o incentivo à participação como recurso para qualificação dos processos orçamentários.

  • A influência do ativo imobilizado no comportamento assimétrico dos custos

    Esse estudo tem como objetivo investigar a influência do ativo imobilizado no comportamento assimétrico dos custos. Quanto a metodologia, esta pesquisa classificada como um levantamento descrito quantitativo. Na base de dados Economática foram coletadas informações sobre a receita líquida de vendas, custo do produto vendido, despesas administrativas, despesas com vendas e ativo imobilizado de 103 empresas brasileiras distribuídas entre os setores de consumo cíclico, materiais básicos e utilidades públicas entre os anos de 2005 a 2014. Os resultados da assimetria revelam a presença do sticky cost nos três setores. Assim, acredita-se que as empresas que demonstram menor comportamento assimétrico dos custos terão melhores ganhos, podendo concluir que investimentos em ativo imobilizado podem gerar maiores assimetrias nos custos, devido aos seus elementos fixos, o que, a longo prazo, poderá reduzir os ganhos da empresa, devido à maior dificuldade da empresas em se desfazer desses ativos fixos.

  • Impacto do reconhecimento de instrumentos financeiros mensurados a valor justo sobre a volatilidade do resultado

    Visando verificar se o reconhecimento de instrumentos financeiros mensurados a valor justo no resultado levou a uma maior volatilidade dos lucros contábeis, adotou-se testes estatísticos que analisaram a diferença entre as variâncias dos lucros líquidos que consideram instrumentos financeiros avaliados a valor justo e a custo histórico amortizado, no período entre 2010 e 2016, das empresas brasileiras de capital aberto não financeiras e Bancos com maior Presença em Bolsa. Após analisar o efeito sobre o lucro líquido dos ganhos e perdas não realizados de instrumentos financeiros, constatou-se uma tendência a suavização, tanto para as empresas nãofinanceiras quanto para os Bancos, e não de aumento da volatilidade como argumentado pelos críticos a adoção do valor justo. Essa tendência pode apresentar um impacto positivo na avaliação dessas empresas pelo mercado de capitais e por credores, já que apresentam uma preferência por lucros consistentes ao longo do tempo, devido a sua aversão ao risco.

  • As despesas públicas municipais como determinante no desenvolvimento humano

    Este estudo tem como objetivo investigar se as despesas públicas municipais impactam no desenvolvimento humano dos municípios brasileiros. Verificou-se, nos resultados em geral, que as despesas funcionais em habitação e urbanismo, saúde e saneamento, e transporte impactaram de forma positiva no desenvolvimento humano nas mais diversas dimensões. Já a despesa em educação e cultura impactou de forma negativa. Desse modo, verifica-se, em geral, que as despesas municipais têm pequeno poder explicativo no desenvolvimento humano dos municípios, seja por uma eventual má alocação dos recursos devido a escolhas públicas inadequadas, ou pela necessidade de analisar o impacto dessas despesas junto com as dos demais entes federativos.

  • Fatores motivacionais e modificações na vida dos mestrandos em contabilidade: os dois lados de uma mesma história

    O ingresso no mestrado ocasiona modificações relevantes na vida dos alunos, seja nos âmbitos social, financeiro ou psicológico. As alterações da realidade frente aos novos compromissos podem gerar algumas consequências para os estudantes, e comprometer seu desempenho no curso. Nesse sentido, esta investigação buscou identificar as modificações (sociais, financeiras e psicológicas) ocorridas na vida dos alunos do mestrado em contabilidade após o ingresso no programa de pós-graduação. Sob a lente teórica das teorias do Capital Humano e da Autodeterminação foram identificadas as motivações que fomentaram o anseio e a tomada de decisão dos participantes para ingressarem no mestrado em contabilidade. Para a coleta das evidências foram realizadas entrevistas semiestruturadas e aplicado questionário em 12 mestrandos de uma instituição de ensino superior pública brasileira. O roteiro de entrevista foi submetido as validações propostas pela literatura especializada, sendo que os aspectos éticos foram observados pelos pesquisadores. A partir da análise dos discursos dos participantes foi possível identificar alguns achados relevantes e que devem ser considerados pelas coordenações dos cursos de pós-graduação brasileiros, pelos órgãos de fomento, professores, alunos e futuros candidatos. Primeiramente, os resultados apontam que em todos os aspectos elencados, financeiros e sociais, houveram modificações na vida da maioria dos participantes. As falas indicam que o fator financeiro é considerado um dos mais importantes e observado pelos mestrandos com vistas a conclusão do curso. Ademais, a sobrecarga de atividades e a falta de planejamento tanto em relação ao tempo como aos aspectos financeiros impactam psicologicamente os alunos. Percebeu-se também, que as motivações que levaram os estudantes a ingressarem no programa de pós-graduação alinham-se aos objetivos profissionais, mas estão também, fortemente relacionadas a satisfação pessoal e demais motivações intrínsecas. Destarte, considera-se que o estudo tenha dado voz aos mestrandos, na medida que inova por seu caráter qualitativo e análise em profundidade. Por fim, essa investigação é reflexo do retrato e desenho da pós-graduação existente no Brasil. Espera-se que os achados sirvam de embasamento para que as políticas de manutenção estudantil sejam mantidas e aprimoradas, bem como o próprio desenho da pós-graduação brasileira.

  • Indicadores de desempenho diferenciam empresas do mesmo segmento?

    O objetivo deste estudo foi identificar a capacidade dos indicadores de rentabilidade e lucratividade em produzir subsídios para analistas e investidores, por meio da diferenciação das empresas de um mesmo segmento de atuação. Tal abordagem segue a linha contingencial. Para isso, foram analisadas 17 empresas do segmento de edificações da B3, em 22 trimestres. Os dados, secundários, foram coletados do website da B3, adotando-se os indicadores: ROA, Margem Bruta, Margem EBITDA e Margem Líquida. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e Teste de Kruskal Wallis, com o procedimento de comparações múltiplas. Os resultados possibilitaram avaliar cada indicador e empresa, identificando os que mais as diferenciam. Concluiu-se que os quatro indicadores apresentam diferenças estatisticamente significativas entre as empresas, porém em índices menores a 40% das comparações possíveis. Assim, o uso de técnicas estatísticas contribui para a identificação sobre variações significativas de desempenho entre as companhias, bem como demonstra as semelhanças em um mesmo setor econômico e pode contribuir no julgamento de analistas e investidores. O estudo discute tais impactos e a relevância desse tipo de análise por eles.

Documentos em destaque