• Política & Sociedade. Revista de Sociologia Política

Editora:
Universidade Federal de Santa Catarina
Data de publicação:
2011-03-10
ISBN:
2175-7984

Descrição:

Destinada à divulgação de artigos, resenhas, traduções e ensaios bibliográficos inéditos sobre temas e problemas de Sociologia Política e de disciplinas afins, a revista orienta-se pelos critérios de qualidade acadêmica e da relevância social do conteúdo de suas publicações.

Documentos mais recentes

  • Ação, ordem e cultura: fundamentos de um programa de pesquisa weberiano

    Mais do que interpretar, é preciso desenvolver Max Weber. Partindo desta premissa, o artigo situa o estado atual da discussão teórica atual em sociologia e apresenta dez pontos chaves para a construção de um paradigma Weber ou um programa de pesquisa weberiano.

  • A dimensão casual-explicativa dos tipos ideais: a contribuição metodológica de Max Weber para a sociologia contemporânea

    O artigo propõe uma leitura e atualização do conceito weberiano de tipo ideal a partir do conceito de non-statement view de Roland Giere. Conforme este último, teorias consistem em modelos teóricos e hipóteses. Da mesma maneira, os tipos ideais de Weber não consistem em proposições substantivas, mas são idealizações teóricas não falsificáveis das quais derivam, contudo, hipóteses para serem falseadas ou confirmadas. O estatuto epistemológico dos tipos ideais weberianos não consiste em proposições descritivo-causais, mas, sim, em definições. Dessa forma, logramos não apenas uma nova interpretação do legado epistemológico weberiano, mas também abrimos caminho para sua interlocução com a atual filosofia da ciência.

  • Max Weber possui duas sociologias? Análise comparativa do esquema conceitual de Sobre algumas categorias da sociologia compreensiva (1913) e Conceitos sociológicos fundamentais (1921)

    A republicação crítica da obra de Max Weber, a Max Weber-Gesamtausgabe, suscitou o debate sobre as mudanças e as permanências do léxico weberiano. Um exemplo é a controvérsia entre os ensaios Kategorien (1913) e Grundbegriffe (1921). Schluchter (2014) defende que houve somente um refinamento do léxico, sem mudança de concepção. Lichtblau (2015) argumenta que houve mudança de abordagem: em 1913, histórica; em 1921, sociológica. À vista desse embate, objetiva-se identificar e discutir as implicações analíticas das alterações conceituais realizadas por Weber em Kategorien e em Grundbegriffe a fim de compreender o desenvolvimento de sua concepção de Sociologia. Reconhece-se a existência de um modelo micro-macro tanto em Kategorien quanto em Grundbegriffe. Mas é necessário esclarecer que os textos passaram por um processo de amadurecimento teórico e de aperfeiçoamento conceitual, tendo em vista a modificação do conteúdo conceitual de algumas categorias fundamentais do esquema weberiano.

  • Max Weber e a investigação histórico-empírica

    Max Weber is a worldwide respected sociologist, but there are other ways to approach and appreciate his oeuvre, especially in historical science. He has been seen as the last Germanspeaking polyhistor, as the founding father of historical cultural studies, and even as the forerunner of a problem-focused historiography. At the same time, history provides him with an almost inexhaustible reservoir of single data. Weber demonstrates what about data is scientifically interesting and how to make use of it for dealing with scientific questions. My approach in this essay will be as follows: Firstly, I will identify Weber’s methodological reflections about how to deal with empirical-historical reality. Secondly, I will show how Weber embraces history with special focus on his sociology of domination - a centerpiece of Economy and Society. Finally, I will shortly explore the possibilities of adapting Weber’s main theses to present-day historical sciences.

  • Metaweberianismo

    O objetivo do texto é apresentar a mais recente contribuição de Gangolf Hübinger aos Weber Studies, mostrando como a história intelectual se constitui como um dos poucos campos de investigação das ciências humanas por meio dos quais podemos estudar e, quem sabe, mesmo explicar Weber weberianamente. A inovadora abordagem de Hübinger articula o conceito de milieu social-moral de Lepsius com a teoria de Koselleck sobre a relação entre o advento de Zeitschwellen e inovações metodológicas.

  • A análise política por Max Weber da Revolução de Fevereiro de 1917: um balanço crítico

    O presente trabalho discute criticamente a análise de Max Weber sobre a situação política da Rússia em 1917, particularmente seu artigo sobre a Revolução de Fevereiro [A transição da Rússia à pseudodemocracia]. Nele estabelecemos os nexos entre tal artigo e seus escritos dedicados à revolução russa de 1905, com ênfase para a análise das classes sociais e a viabilidade de uma coalizão democrática capaz de suplantar o czarismo. Em 1917, Weber questiona o caráter democrático do "governo provisório" e conclui que o processo revolucionário se resumiu à anulação de um monarca incompetente, sem alterar a posição conservadora das classes dominantes em relação à questão agrária, nem sua dependência perante os bancos estrangeiros. Assim, analisamos os equívocos que levaram Weber a desconsiderar a possibilidade de uma aliança entre operários e camponeses, bem como as insuficiências de seu esquema teórico para incluir a dinâmica do movimento de massas na transformação histórica.

  • A dominação carismática em regimes democráticos

    O artigo busca analisar a possibilidade de conciliar o conceito weberiano de dominação carismática com as democracias contemporâneas e com líderes que não rompem com as normas institucionais. A partir da análise exegética de Weber, chegamos a uma definição de dominação carismática que se baseia primordialmente na relação afetiva dos seguidores com o líder em razão de seu caráter extraordinário. Contestando outras interpretações, argumentamos que essa definição é compatível com líderes democráticos sem perder a eficiência de sua aplicação a casos subversivos. Finalmente, para além de Weber, apresentamos algumas possíveis aplicações do conceito a partir de três elementos ideais-típicos: intensidade, difusão e direção do carisma. Esse modelo pode incluir carismas autoritários e antiautoritários e explicar o comportamento dos seguidores em medidas que envolvam os líderes.

  • Sociologia da Educação de Max Weber: o Clinamen na prática pedagógica

    Este artigo consiste, fundamentalmente, em uma análise do pensamento de Max Weber, de maneira a buscar uma possível contribuição ao campo da educação na atualidade. Ao expor sua compreensão sobre o processo de racionalização, tendo na burocracia uma de suas manifestações mais contundentes, Weber compreende as ações humanas como constituídas de uma tensão permanente. Não haveria no mundo um sentido, com validade universal, que orientasse a existência. Neste aspecto, a educação precisa adquirir outro significado, isto é, uma educação que faça o clinamen surgir e ressurgir, introduzindo no mecanismo determinista o espaço de libertação, que consiste em romper o determinismo inerente a qualquer situação objetiva e, de forma desviante, abrir espaço para o exercício da autonomia. Se ao professor cumpre fornecer alguma esperança para a vida de seus alunos, esta deve ser estabelecida a partir do reconhecimento do caráter agonístico da existência. Agir assim é garantir a integridade e a liberdade intelectual.

  • Biography and Scholarship. In Memory of Guenther Roth
  • Guenther Roth (1931-2019)

Documentos em destaque