Esboços. Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UFSC

Editora:
Universidade Federal de Santa Catarina
Data de publicação:
2011-03-10
ISBN:
1414-722x

Descrição:

É uma revista dedicada a divulgar e debater artigos, pesquisas e enfoques que enriqueçam a produção do conhecimento histórico.

Documentos mais recentes

  • A história urbana global: um chamado ao diálogo
  • Shock against nature: a comparative environmental history of oil drilling and oil Boomtowns in Brazil and Canada during the oil shock era (1967-1981)

    This article focuses on the environmental impact of the oil industry during the Oil Shock years in the 1970s. During this period, Brazil and Canada explored new oil sources in order to deal with the lack of supply from the Middle East. The expansion of the national oil industry in both countries affected the fragile environment of several regions and the urban life of these places, as well. In understanding how these factors affected the urban environment and nature, it is possible to achieve a new understanding about what the Oil Shock meant on a global scale.

  • Inmigración y eugenesia en el Caribe
  • Músicos e orquestras do primeiro cinema em greve: de Chicago ao Rio de Janeiro (1903-1914)

    O presente artigo propõe uma história social do primeiro cinema de modo a analisar um fenômeno que chacoalhou os primeiros anos do cinema mundial: as greves de músicos e orquestras de cinematógrafos nas cidades de Chicago, Rio de Janeiro e São Paulo. A particularidade comum das greves foi provocar o alvoroço por parte de patrões, polícia, jornalistas e autoridades públicas, deixando rastros, sobretudo, em jornais e revistas especializadas de cinema e cultura. Jornalistas investigativos, críticos de arte e a imprensa de modo geral repercutiram os conflitos, as estratégias e os acordos entre os sujeitos implicados nas greves, além de deixar as impressões dos coetâneos que assistiam ao fenômeno como observadores. Buscamos perscrutar os contextos dos cinematógrafos para conhecer o mundo dos músicos nas cidades; a função mediadora das associações de proteção e regulação do trabalho musical; e as razões para as greves nas três cidades investigadas. Foi possível depurar uma dinâmica global na qual a organização coletiva de músicos e orquestras foi uma estratégia utilizada amplamente no intervalo de uma década contra patrões e companhias de cinema que aceleravam a precarização das condições de trabalho, expressa sobretudo nos baixos salários recebidos.

  • De la ciudad a la metrópoli: un enfoque desde México sobre un pasado global

    Una metrópolis inicia como una ciudad en la que su territorio e instituciones convergen, pero una vez que se extiende más allá de sus límites jurisdiccionales, es cuando los mecanismos históricos que le daban sentido son rebasados. El objetivo del artículo es demostrar que en la formación de las metrópolis existe un fenómeno común a nivel global caracterizado por una regulación y condicionamiento de las relaciones intergubernamentales que tratan de adaptarse al vertiginoso crecimiento urbano. Un elemento clave es la forma de cooperar entre diversos gobiernos. Para lograr el objetivo el texto se divide en dos partes. Primero, se analiza la evolución de la urbanización a nivel global, para demostrar cómo a partir de 1950 el mundo deviene mayoritariamente urbano. Luego, se exponen estrategias de gestión metropolitana utilizadas en Europa, África, Asía y las Américas, con énfasis en México. El texto termina con algunas consideraciones sobre los retos globales de las metrópolis.

  • Políticas habitacionais e modernização autoritária nas ditaduras do Brasil e da Argentina (1964-1973)

    O artigo realiza uma comparação entre as políticas habitacionais das ditaduras civil-militares da Argentina e do Brasil. Por intermédio da legislação, de relatórios e de estatísticas dos governos, compreende como as ditaduras formaram suas políticas habitacionais no contexto dos golpes de estado e da Guerra Fria, bem como os interesses de classe que mediaram a construção da política pública. As ditaduras são normalmente abordadas em recortes analíticos nacionais, sem considerar a circulação de práticas e representações em escala transnacional. A intervenção em cenários de pobreza e informalidade urbana da América Latina (nas favelas brasileiras e villas miseria argentinas) fez circular um conjunto de políticas habitacionais que marcaram a modernização autoritária desses países e ajudou a construir a legitimidade dos governos militares, criando a expectativa de crescimento econômico, de reforma urbana e do “sonho da casa própria” para parcela da população.

  • Fotografia e espaço público visual: a globalidade da soja e os protestos contra o confisco de Delfim Neto em Santa Rosa/RS (1980)

    O artigo propõe uma reflexão sobre os impactos da conjuntura internacional da agricultura sojicultura nos sentidos atribuídos ao espaço urbano de Santa Rosa, noroeste do Rio Grande do Sul, no início da década de 1980, por ocasião do confisco da soja aplicado pelo ministro Delfim Neto. O período ficou marcado por uma crise financeira que afetou muitos dos agricultores da região, os quais reagiram de variados modos, dentre os quais destaca-se o uso de espaços urbanos para sua manifestação pública. A fim de entender como esta apropriação espacial ocorreu, elencaram-se como fonte algumas fotografias de manifestações e protestos realizados em Santa Rosa, publicados por dois periódicos da cidade, o jornal Noroeste e o jornal O Grande Santa Rosa. As noções de fotografia pública e espaço público visual são centrais na análise. A metodologia utilizada está relacionada ao campo da cultura visual e parte do proposto por Ana Maria Mauad para o estudo de acontecimentos. Defende-se uma espacialização da análise histórica, por ser o espaço composto pela produção material, significados e práticas que são formadas – e ao mesmo tempo formadoras – por relações de (re)produção social. Observou-se que, ao ocuparem os espaços urbanos de Santa Rosa, os agricultores demarcaram não somente a apropriação da sua territorialidade, mas do acesso às políticas econômicas mundiais por meio da reivindicação do direito à venda de sua produção. O acontecimento, assim, tornou-se o locus privilegiado da análise, não por se contrapor à escala mundial, mas por evidenciar seus efeitos e a sua constituição a partir do vivido.

  • Marie Laurencin no Brasil: imprensa, marchands e a circulação global da arte moderna entre centros urbanos

    Este artigo busca refletir acerca da valorização da pintura de Marie Laurencin no Brasil nas décadas de 1940 e 1950, com base na análise do papel da imprensa e dos marchands nos circuitos urbanos internacionais, por meio dos quais transitaram suas obras durante a primeira metade do século XX. Com o desenvolvimento do mercado de arte moderna, aliado a um mundo cada vez mais globalizado, os caminhos das obras modernistas rompem com as fronteiras nacionais. Laurencin, artista ligada socialmente ao grupo cubista, desfruta de um lugar privilegiado nesse cenário e tem sua arte importada como parte da empreitada vanguardista em direção ao mercado global. No Brasil, a circulação de sua obra é discriminada por uma presença frequente de menções ao seu trabalho na imprensa. Espera- -se, ao traçar uma breve reflexão acerca da circulação de suas obras na França, na Alemanha e nos Estados Unidos, compreender, de maneira clara, o processo identificado no país e integrá-lo às redes de produção e difusão globais da arte moderna. Conclui-se que a valorização da artista passou pela atuação da imprensa, dos críticos e marchands e que, da mesma forma, seu esquecimento passa por um processo de exclusão e silenciamento na historiografia da arte do século XX.

  • Urban informality in the Global North: a view from Los Angeles

    Urban informality is often discussed and debated by scholars of cities in the Global South, but the term is used with much less frequency in studies of US cities. Looking at the daily functions of American cities, however, it is clear informality plays just as central a role in the US as in other cities around the world, whether in the housing sector, jobs, or land use. This article will discuss the longer historical arc leading to the present day with a focus on specific historical moments in Los Angeles history. I begin with the emergence of formalization and land titles in an era of colonization, continuing to a discussion of early-twentieth century land rights specifically in the communities of Chavez Ravine, and end with an exploration of urban informality in Skid Row.

  • The invention of the 'third-world city': urban planning in Latin America in the 1960s and early 1970s

    While the first half of the 20th century was mainly characterized by the importation of urban planning models from Europe and the USA to Latin America, the 1960s represent a turning point: In the context of different development theories, local planners first started to emphasize the supposed structural similarities of Latin American cities and then their parallels with other cities of the Global South. Social theorists, economists and urbanists of the time conceptualized cities not only as litmus tests of the developmental stage of the individual country, but also as motors to enable economic progress. Analyzing different Latin American architectural and urban planning publications, the article traces references to other Latin American and “Third-World” countries that grew in size in the course of the 1960s. In some cases, this even led to South-South contacts in the field of urban planning to the research of which this article is a start.

Documentos em destaque

VLEX uses login cookies to provide you with a better browsing experience. If you click on 'Accept' or continue browsing this site we consider that you accept our cookie policy. ACCEPT